CONSUMADO - Rodrigo Pacheco (centro) com Gilberto Kassab, no ato de filiação ao PSD

Na filiação ao PSD, Rodrigo Pacheco afirmou que ‘a fome é um flagelo inaceitável’

DA REDAÇÃO – Brasília

O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco, assinou nesta quarta-feira (27) em Brasília, a ficha de filiação ao Partido Social Democrático (PSD), em evento no Memorial Juscelino Kubitscheck. Estavam presentes cerca de 700 lideranças, entre senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos e diferentes outras lideranças do PSD e de outros partidos. No evento, o presidente nacional do partido, Gilberto Kassab, destacou o papel do senador e a indicação de que disputará a presidência da República pelo PSD.
Kassab conduziu a cerimônia, organizando as participações e convidando lideranças a falar durante o ato. E afirmou, em tom de brincadeira, que sabia que o presidente do Senado será candidato no próximo ano. Reforçou também a necessidade de uma alternativa à polarização no País. A proposta é conduzir a candidatura de Pacheco como alternativa a Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva.
“Quero dizer sobre a determinação do presidente Kassab, e me integrar humildemente ao PSD”, discursou Pacheco. O senador reafirmou seguir com seu “compromisso absoluto com o federalismo, defesa dos Estados e de soluções para questões brasileiras”.
Rodrigo Pacheco agradeceu parlamentares e lideranças presentes no evento, e destacou que o PSD “é um partido maduro, comprometido com o Brasil e tem um projeto sólido para o País.”
Também lembrou que a sigla tem “quadros experientes e preparados” e faz política de forma responsável, e está pronta para atender aos desafios do País, com os desdobramentos da pandemia, a crise econômica e temas como agenda ambiental, produção de energia e saúde e educação de qualidade.
Destacou a pobreza crescente no Brasil. “A fome é um flagelo inaceitável que tem castigado tantos brasileiros, e nossa economia precisa deslanchar”, disse. Também afirmou que a definição quanto à disputa pelos partidos ainda terá definições, quando questionado pela imprensa sobre definição para sua candidatura.
“O PSD tem se consolidado como partido de equilíbrio, construção de consensos”, e Pacheco chega pra contribuir com essa qualidade, discursou o governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD). O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), apontou que “todos ficam muito felizes” e destacou a presença de senadores do partido, como o presidente da CPI da Pandemia, Omar Aziz (AM).
Toda a bancada do partido no Senado – agora são 12 representantes – esteve na cerimônia, além de Katia Abreu (PP-GO), Davi Alcolumbre (DEM-RO), Alcir Gurgacz (PDT-RO), Daniella Ribeiro (PP-PB), Marcos Rogério (DEM-RR) e deputados de diferentes siglas.

Veja também

Dívidas de tributos e taxas municipais podem ser parceladas até o dia 17

DA REDAÇÃO – ANDRADINA A Prefeitura de Andradina alerta aos contribuintes com débitos municipais que …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *