Home Cidades Mortes em acidentes em Araçatuba caem 38 % conforme levamento da Secretaria de Mobilidade

Mortes em acidentes em Araçatuba caem 38 % conforme levamento da Secretaria de Mobilidade

5 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Conforme proposta da Organização das Nações Unidas, da qual o Brasil é signatário,a meta é reduzir o número de mortes no trânsito em 50% até este ano. São Paulo desenvolveu várias ações neste sentido, envolvendo os municípios. Araçatuba tem feito vários trabalhos por meio de convênios com o Detran e faz parte do InfoSiga. Em 2018 o município teve 26 mortes e no ano passado foram 16, o que representa redução da ordem de 38%.
De acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana, os óbitos em decorrência de acidentes de trânsito no município de Araçatuba (incluindo rodovias estaduais e vias municipais) foram 42 em 2015, 33 em 2016, 15 em 2017, 26 em 2018 e 16 em 2019. Os dados referem-se aos levamentos feitos pelo Governo do Estado de São Paulo (Respeito à Vida)
Em 2018 foram registrados 1.304 acidentes de trânsito em Araçatuba, sendo que 42,10% dos veículos envolvidos foram motocicletas e 45,40% dos veículos envolvidos foram carros. Já em 2019 foram 1.221 acidentes de trânsito, sendo 41,80% envolvendo motocicletas e 45,10% envolvendo carros.
De acordo com o levantamento da Secretaria de Mobilidade Urbana, em 2018, as principais vias com acidentes com a Rua dos Fundadores e Avenida Araçás com 57 acidentes
Rua dos Fundadores e Avenida dos Araçás – 57 acidentes, Rua do Fico, com 43, Avenida Brasília, com 32 e Avenida Joaquim Pompeu de Toledo com 31 acidentes. Já em 2019, foram 40 acidentes da Rua dos Fundadores e Avenida Araçás, 37 na Avenida Joaquim Pompeu de Toledo, 36 na Rua do Fico e 29 na Avenida Brasília.
Quanto ao motivo dos acidentes, secretaria apontou de maneira direta. “Falha humana e desrespeito à legislação de trânsito são as principais causas de acidentes de trânsito”.
Para reduzir o número de acidentes, a Secretaria de Mobilidade Urbana desenvolve várias ações.
“Manutenção, instalação e reforço da sinalização vertical (placas), horizontal (sinalização de solo) e semafórica (vias em condições adequadas de trafegabilidade auxiliam na redução de acidentes); readequação das estruturas de circulação das vias municipais (alterações de trânsito de uma forma geral, como implantação de sentido único de circulação, que reduz pontos de conflitos nas vias), pois o trânsito deve fluir de forma constante, nem muito rápido, nem muito devagar, e sem pontos de retenção; fiscalização de trânsito (infelizmente o respeito às normas e sinalização de trânsito somente pode ser alcançado com uma fiscalização efetiva de trânsito; se os condutores souberem que há fiscalização e que podem ser multados, ou seja, sofrerem alguma pena pecuniária, a tendência é que os respeito às regras de trânsito seja maior)”, informou a secretaria.
“As vias municipais são monitoradas através de um sistema informatizado da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, que emite relatórios gerenciais e são estudadas alternativas e medidas para a redução destes acidentes”, concluiu a nota.


Compartilhe esta notícia!