12.9 C
Araçatuba
sexta-feira, agosto 19, 2022

Duas cidades da região estão entre as 10 do Estado com maior número de dengue

Levantamento feito junto aos números disponibilizados pelo governo do Estado mostram que 10 municípios concentram mais da metade dos casos de dengue no estado de São Paulo. Juntas, estas cidades têm mais de 50 mil casos confirmados. Duas cidades da região: Andradina e Birigui estão entre as 10 cidades e por isso adotaram medidas especiais para atender aos pacientes com suspeita da doença.
De acordo com os dados disponibilizados no Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE), ligado à Secretaria de Estado da Saúde, em 15 de abril, o Estado de São Paulo era de 85 mil casos registros. Em todo o ano de 2018, conforme o site do CVE, foram pouco mais de 15 mil casos no estado, o que equivale a aumento de 466%.
Das 10 cidades com maior número de casos da doença, nove estão no interior. Na região de Araçatuba, há outras cidades com elevado número de casos, como Mirandópolis.

DENGÁRIO
Várias cidades estão destinado unidades de saúde para atendimento exclusivo a pacientes com suspeite de dengue. O atendimento já foi implantado em Andradina, Araçatuba, Penápolis e Birigui.
1 – Bauru – 13,6 mil casos
2 – Araraquara – 8.000 casos
3 – Rio Preto – 8.000 casos
4 – Campinas – 5.500 casos
5 – Andradina – 3.400 casos
6 – Barretos – 3.200 casos
7 – São Joaquim da Barra – 2.700 casos
8 – São Paulo – 3.100 casos
9 – Birigui – 2.500 casos
10 -Fernandópolis – 2.200 casos

Cuidados que devem ser observados
Para o Biólogo Horácio Manuel Teles, membro do CRBio-01 – Conselho Regional de Biologia – 1ª Região (SP, MT e MS), é possível que o crescimento dos casos da dengue em 2019 tenha relação com a redução dos cuidados que visam o controle dos criadouros nos ambientes domésticos, como também das ações de responsabilidade das diferentes instâncias de governo. “Campanhas de prevenção à proliferação do mosquito Aedes aegypti precisam ser reforçadas entre a população, especialmente nas regiões onde já há registros”, alerta o biólogo do CRBio-01.
Como ainda não se descobriu uma forma eficiente de combate ao mosquito, o melhor remédio continua sendo a prevenção, ou seja, a redução das possibilidades da criação e reprodução do Aedes. Para evitá-lo, o especialista lembra alguns cuidados que devem ser tomados para não criar ambientes propícios à reprodução do mosquito:

– Tonéis e caixas d’água devem estar bem fechados;
– Fazer a manutenção periódica da limpeza das calhas;
– Armazenar garrafas com a boca para baixo;
– Utilizar tela nos ralos;
– Manter lixeiras sempre bem tampadas;
– Colocar areia nos pratos de vasos de plantas;
– Limpar os bebedouros de animais com escova ou bucha;
– Acondicionar pneus em locais cobertos;
– Eliminar água sobre as lajes;
– Eliminar detritos e entulhos em quintais e jardins.

DA REDAÇÃO
BIRIGUI

Ultimas Noticias