Home Cidades Araçatuba Serviços geram quase 50 mil empregos com carteira assinada na região

Serviços geram quase 50 mil empregos com carteira assinada na região

7 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES

O setor de serviços liderou o ranking da empregabilidade das quatro maiores cidades da região – Araçatuba, Birigui, Penápolis e Andradina – em 2019, representando 42,97% do estoque de trabalhos formais.

O levantamento foi feito pelo economista e pesquisador em economia local e regional, professor Marco Aurélio Barbosa de Souza, com base em dados da RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), do Ministério da Economia, divulgados na última segunda-feira.

O estudioso explica que estas estatísticas apresentam o retrato do mercado de trabalho, detalhando os vínculos ativos de empregos com carteira assinada em 31 de dezembro de cada ano de cada ano. No caso do estudo apresentado esta semana, representa uma fotografia de certo momento, antes, portanto, do impacto da pandemia no mercado de trabalho regional.

Juntas, as quatro cidades criaram 113.448 empregos formais em 2019, sendo 48.753 (42,97%) do setor de serviços; 30.008 (26,45%) vinculados ao segmento da indústria; 28.695 (25,29%) do comércio; 3.596 (3,17%) da construção e 2.436 (2,15%) da agropecuária.

SALÁRIO

O setor de serviços foi também o que apresentou melhor remuneração média para os trabalhadores com o valor de R$ 2.731,06, seguido pela indústria com R$ 2.384,10; construção com R$ 2.374,03; agropecuária, R$ 2.265,74; e comércio com R$ 2.048,47.

Em sua análise, Souza fez a separação dos dados para uma análise mais aprofundada, avaliando a faixa etária, o sexo e o grau de instrução.

Em relação ao sexo, os homens ocupavam 54,59% do estoque de empregos com 61.954 vínculos, enquanto as mulheres responderam por 45,41%, 51.534 postos de trabalho com registro.

Quanto ao grau de instrução, a liderança ocupacional ficou por conta dos trabalhadores com ensino médio completo com 61.870 vínculos (54,54% do total), seguido pelo ensino superior completo com 19.817 empregos (17,47%) e, na terceira posição, os trabalhadores com ensino fundamental completo com 12.246 (10,79%).

A composição por faixa etária tem como destaque o intervalo de idade entre 30 e 39 anos com 32.598 vínculos (28,73%), seguido por quem tem dos 40 a 49 anos com 25.965 trabalhadores (22,89%) e pela faixa dos 18 aos 24 anos com 16.765 pessoas (14,78%).

 

 

Setor foi responsável por metade dos postos de trabalho em Araçatuba

 

Conforme o estudo, a cidade de Araçatuba contava com estoque de 52.405 empregos até o fim de 2019. O principal setor empregador foi o de serviços com 26.749 oportunidades (49,17% do total), seguido pelo comércio com 14.453 (27,58%) e, em terceiro lugar, a indústria com 8.209 (15,66%).

Já o município de Birigui, conhecido pela força e diversificação de sua indústria, apresentou estoque de 30.662 empregos. O segmento industrial liderou a empregabilidade local com 12.625 postos de trabalho (41,17%), seguido pelo setor de serviços com 9.988 (32,57%) e, em seguida, o comércio com 7.082 empregos (23,10%).

Penápolis apresentou estoque de 14.448 empregos, sendo também liderado pelo setor de serviços com 5.515 (38,17%), seguido pela indústria com 4.238 (29,33%) e, na terceira posição, o segmento do comércio com 3.703 (25,63%) vínculos ativos.

A cidade de Andradina fechou 2019 com estoque de 15.973 empregos. Os serviços responderam por 6.501 empregos (37,88%), seguido pela indústria com 4.936 (30,90%) e o comércio com 3.457 trabalhadores (21,64%).

 

 

Dados ajudam na formulação de políticas públicas

 

O pesquisador destaca que a análise dos resultados da RAIS é importante para o conhecimento da realidade econômica dos municípios em relação a composição da estrutura de empregabilidade local. “Os dados favorecem a elaboração de políticas públicas de desenvolvimento econômico”, diz.

Outro aspecto que o economista está investigando para uma apresentação posterior é a avaliação do comportamento de outras modalidades de ocupações como o empreendedorismo, ou seja, pessoas que resolveram iniciar seus próprios negócios nos últimos anos.

“Dessa forma, elas deixaram as estatísticas do mercado formal de trabalho e ingressaram como pessoas jurídicas (PJ). Dados da instalação de empresas de diversas categorias, portes e setores econômicos, com destaque especial, para a modalidade de MEIs (Microempreendedores individuais) nas quatro cidades evidenciam elevado crescimento nos últimos anos”, destaca Souza.

 

 

 


Compartilhe esta notícia!