COBRANÇA - Presidente da Unimed Araçatuba cobra governo por falta de medicamentos

Rede particular de Araçatuba relata falta de remédios e presidente de hospital faz apelo ao governo

Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

O Hospital Unimed Araçatuba informou no começo da tarde desta terça-feira (30), que o estoque de relaxantes musculares está baixo na unidade. Segundo a nota divulgada à imprensa pelo hospital, não há previsão para chegada do produto pelo menos até a próxima segunda-feira, dia 5, isso porque não há este tipo de medicação para compra no país no atual momento.

O presidente da Unimed Araçatuba, o médico Flávio Garbeline, gravou um vídeo divulgado ontem nas redes sociais pedindo ajuda ao Ministério da Saúde e ao governo do estado para que resolva esta questão.

“A Unimed Araçatuba, através do seu hospital, tinha um compromisso firmado com as empresas de manutenção da entrega dessas medicações, infelizmente isso foi abortado pelas empresas pois elas não podem mais entregar devido à requisição do Ministério da Saúde”, disse o presidente da Unimed.

Ele criticou a requisição administrativa dos medicamentos feita pelo Ministério da Saúde, que segundo ele está prejudicando todos os hospitais do país.

“Esta requisição administrativa influenciou diretamente todos os hospitais do país. No momento não temos como comprar medicamentos para realizar a intubação e a ventilação mecânica dos pacientes”, disse Garbelino. “Não sabemos aonde estão esses medicamentos, com quem está, sabemos que nós estamos de mão atadas porque não conseguimos comprar mais estar medicações”, informou.

Os relaxantes musculares são medicamentos importantes no tratamento de pacientes acometidos pela covid-19 e também por outras doenças que necessitam de intubação e ventilação mecânica. A falta deles pode fazer com que o hospital não tenha mais capacidade de receber pacientes com sintomas graves causados pelo coronavírus.

“Clamamos ao Ministério da Saúde, ao governador do nosso estado, e todas as entidades, que nos digam: como manteremos os nossos pacientes intubados e em ventilação mecânica se não temos acesso às medicações? Esta falta de insumos acarretará em prejuízo direto aos pacientes internados, e não poderemos brevemente receber novos pacientes”, suplicou o médico em sua fala.

Problema recorrente

O apelo do presidente da rede particular de saúde de Araçatuba acontece um dia após o diretor técnico da Santa Casa de Araçatuba, Giulio Stanco Coscina Neto, ter feito um alerta de que a falta de medicamentos pode fazer com que o hospital tenha de fechar leitos de UTI.

O médico também citou informação de que o estado estaria confiscando a produção destes medicamentos para coordenar a distribuição, que não está sendo eficaz, já que a Santa Casa recebeu apenas 100 ampolas, material que não é suficiente nem para meio dia de trabalho.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Araçatuba registra morte de adolescente de 16 anos em decorrência da covid-19

Compartilhe esta notícia!DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA Araçatuba registrou a morte de uma adolescente de 16 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *