FÉ - Padre Guabiraba reforça a importância da boa vivência quaresmal rumo à Páscoa  DIVULGAÇÃO

Quarta-feira de Cinzas: por prevenção, paróquias ampliam horários de missas

Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

A Quarta-Feira de Cinzas marca o início da Quaresma no calendário litúrgico. Este ano, a data é refletida em 17 de fevereiro. Ainda em cenário de pandemia, são necessárias medidas cada vez mais assertivas em relação à segurança, distanciamento sanitário e prevenção dos fiéis, que neste ano contarão com horários diversificados para celebraram o início do tempo de jejum, oração e esmola.

Ao flexibilizar horários, as paróquias da Diocese de Araçatuba fortalecem o compromisso de não só manterem como também atuarem em unidade aos decretos episcopais com orientações de uso de máscaras, equipamentos de higienização, distanciamento nos espaços religiosos e controle de acesso, caso necessário. As transmissões das missas também acontecerão nesta quarta-feira, atendendo assim aos fiéis que são dos grupos de riscos ou estão em quarentena.

A Paróquia do Senhor Bom Jesus da Lapa terá missas em três horários. Para atender os fiéis que precisam trabalhar logo pela manhã, a primeira missa será às 7h, com duração de cerca de 30 minutos. À tarde, às 15h, ocorrerá a segunda Santa Missa. À noite, a missa será às 20h.

A Paróquia São Sebastião de Araçatuba também ampliou seus horários de missas. Além do tradicional horário das 19h30, a paróquia também terá missa às 9h.

Estes casos se aplicam rambém na Catedral Diocesana Nossa Senhora Aparecida, a qual, na Quarta-feira de Cinzas, terá dois horários de missas: 7h e 19h30, sendo esta missa presidida pelo bispo diocesano Dom Sergio Krzywy. Para a missa noturna, a Catedral orienta a retirada de senhas na secretaria local.

A ampliação das missas matinais, que é a novidade de 2021, também acontecem em outras paróquias, como o Santuário Paróquia São João Batista e São Judas Tadeu (7h ), Imaculada Conceição de Birigui (7h), São Benedito e São Cristóvão de Birigui (6h) e Nossa Senhora Auxiliadora de Valparaíso (9h). À tarde também estão programadas celebrações, como no caso da Capela São Domingos Sávio (Salesiano), às 17h e Nossa Senhora das Graças de Andradina (15h).

Em todas as paróquias o número de ocupação está restrito entre 30% e 50% do espaço, pois cada uma está suborinada a decretos de cada cidade.  As paróquias também são responsáveis por divulgar em suas missas o acesso ou não por meio de senhas, bem como as transmissões ao vivo pelas plataformas digitais e redes sociais.

 

A VIVÊNCIA DO PERÍODO

Conforme o pároco da Catedral Nossa Senhora Aparecida e Administrador Paroquial da Paróquia São João, padre José Carlos Guabiraba, a Quaresma é um período especial da liturgia.

“E por quê? Porque, sendo a Páscoa o centro de toda vida cristã, a preparação para a mesma deve ser intensa e profundamente embasada na Palavra de Deus e no desejo de uma vida nova (Conversão). Tendo como base o capítulo 6 do Evangelho de Mateus, a esmola (caridade,em todas as suas expressões),o jejum (auto-domínio,mortificação exterior e interior) e a oração (escuta de Deus e intimidade com ele para olhar melhor a realidade) se nos apresentam como os meios indispensáveis para a caminhada quaresmal, com vistas a uma celebração e vivência da Páscoa como realidade transformadora”, explica.

O sacerdote também reforça o gesto concreto presente na Campanha da Fraternidade, iniciativa da Igreja no Brasil. “Na Quarta-feira de Cinzas, coma recepção das cinzas sobre a cabeça , ouvindo a Palavra de Deus e interpelados pela Campanha da Fraternidade a olhar para a realidade concreta do Brasil, somos chamados a abraçar a conversão como uma necessidade permanente dos batizados,não para celebrar mais vez a Páscoa,mas para iluminar o mundo com a luz do Cristo Vivo, rumo à Páscoa Eterna”, conclui.

 

RITO DURANTE A MISSA

A situação de saúde causada pela crise pandêmica do coronavírus continua exigindo uma série de atenções que também se refletem em âmbito litúrgico. Tendo em vista o início da Quaresma deste ano, na quarta-feira ,17 de fevereiro, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos publicou em seu site as disposições a serem seguidas pelos celebrantes no rito de imposição das Cinzas.

“Feita a oração de bênção das cinzas e depois de as ter aspergido com água benta sem dizer nada – precisa a nota -, o sacerdote, voltado para os presentes, diz uma só vez para todos a fórmula que se encontra no Missal Romano: ‘Convertei-vos e acreditai no Evangelho’, ou ‘Lembra-te que és pó da terra e à terra voltarás’.”

Depois, prossegue a nota, “o sacerdote lava as mãos, coloca a máscara protegendo o nariz e a boca, e impõe as cinzas a todos os presentes que se aproximam dele, ou, se for mais conveniente, aproxima-se ele do lugar daqueles que estão de pé. O sacerdote pega nas cinzas e deixa-as cair sobre a cabeça de cada um, sem dizer nada”.

 

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Eva Vilma morre de câncer, aos 87 anos, em SP

Compartilhe esta notícia!Aos 87 anos, morreu na noite desse sábado (15), em São Paulo, a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *