PONTO DE VISTA

Compartilhe esta notícia!

“Quem acredita em Pesquisas?”

Rodrigo Andolfato

 

Antes de sairmos atirando pedras em pesquisas eleitoreiras, devemos entender como é definida a palavra pesquisa. Segundo o dicionário pesquisa é “substantivo feminino – 1. Conjunto de atividades que têm por finalidade a descoberta de novos conhecimentos no domínio científico, literário, artístico etc. 2. Investigação ou indagação minuciosa.”.

Mas traduzindo isso de forma pragmática, podemos dizer que as pesquisas servem para criar ferramentas que possam ajudar a prever o futuro. Sim leitores, é para isso que pesquisamos. Durante onze anos de minha vida trabalhei como pesquisador, ou como alguns gostam de dizer, cientista. Comecei pesquisas na área de engenharia durante minha graduação, depois continuei durante meu Mestrado e por fim até terminar meu doutorado na USP de São Carlos.

Mas voltando a vaca morta, a pesquisa na engenharia serve para que possamos prever o futuro do aparato a ser construído, sendo que o futuro do que queremos construir são obras que resistam ao tempo e a ruína. Pesquisas na área de exatas nos ensinam que tudo deve ser analisado estatisticamente, e aprendemos nesse momento que nem mesmo nas “exatas” tudo é tão estático e determinístico como gostaríamos. Na verdade, todos os cálculos são efetivamente “estocásticos”, ou seja, estatísticos. E assim sendo, aprendemos que para toda análise estatística temos uma série de inferências, que nos coloca sempre dentro de intervalos, onde o que afirmamos não pode ser dito como uma mentira, porém jamais deterministicamente afirmado como verdade. Sim amigos, mesmo dentro da grande área de exatas assumimos que nossos cálculos não são infalíveis estatisticamente.

Outro ramo da ciência trata-se da área biológica, a qual também leva o positivismo muito a sério. Só para esclarecer, positivismo é a doutrina que infere que comprovações laboratoriais possam traduzir fenômenos futuros com previsibilidade. Esclarecido isto, está muito na moda todos entenderem de pesquisas para criação da vacina do COVID. Todos passaram a ouvir falar do “Estudo duplo-cego” ou ensaio clínico em dupla ocultação, o qual é um método de ensaio clínico realizado em seres humanos onde nem o examinado nem o examinador sabem o que está sendo utilizado como variável em um dado momento. Tudo isso para que ninguém possa “criar” resultados que mais lhe agradem.

Por fim temos a grande área de Humanas. E aqui é o que o bicho pega! Primeiramente devemos entender que o ser humano é um indivíduo complexo e de comportamento extremamente aleatório. Mas nem por isso podemos dizer que as pesquisas nesta área não possam retratar com alguma fidelidade um método de previsibilidade do futuro. Uma prova disso é a tese do “efeito manada”. Digo tese, pois já foi estudada e comprovada por diversos pesquisadores ao redor do mundo. O “Comportamento de manada” é um termo usado para descrever situações em que indivíduos em grupo reagem todos da mesma forma, embora não exista direção planejada nem razão lógica para tal.

E aqui é que a área de Humanas contribuiu para a manutenção da escravidão na humanidade. Sim leitores. Mesmo que não haja lógica em sermos extorquidos pelo Estado, todos continuamos pagando os IMPOSTOS, os quais são ROUBO por definição, uma vez que, se todo mundo faz isso, isso deve ser o certo.

Mas o que tem tudo isso a ver com eleições e pesquisas eleitoreiras? Tudo! Pesquisas de intenção de votos são complexas e por isso mesmo podem ser manipuladas facilmente. Exemplo fácil disso é perguntar estatisticamente “qual melhor time do mundo” dentro do estádio do Palestra ou dentro do estádio do Corinthians. Teremos duas verdades opostas. Mas a ciência política descobriu que, apresentando um resultado falseado de uma pesquisa, está consegue mudar o resultado final de uma eleição pelo efeito de manada! Onde os indecisos acabam por votar com a “maioria” achando que isso é o certo! Por essa razão que escrevo de cabeça erguida. Não acredite em pesquisas eleitoreiras. Elas têm uma finalidade obvia, que é te enganar. E nosso prefeito Dilador sabendo disse contratou uma pesquisa e pronto, lá apareceu ele na frente. Pura mentira! A tentativa clara é de tomar posse do eleitor que cai nessa falácia! Não se deixe enganar, se votar errado dessa vez, vai ter que pagar o dobro de IPTU no ano que vem! E a culpa será só sua.

Rodrigo Andolfato é empresário da Construção Civil, membro do ilan – Instituto Liberal da Alta Noroeste


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Judoca Araçatubense se classifica para os Jogos Escolares Brasileiros

Compartilhe esta notícia!DAVID PRATES – Araçatuba Com apenas 14 anos, a judoca multicampeã araçatubense Sofia …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *