PONTO DE VISTA

AS MÃOS SUJAS DE SANGUE

Rodrigo Andolfato

Este artigo tratará do assunto política, liberdade e responsabilidades, por parte de todos os que de algum modo utilizam do poder estatal para decidirem o que nós, o povo, podemos ou não fazer. Devemos lembrar antes de mais nada que nosso presidente Jair Bolsonaro foi um dos únicos gestores do planeta a se posicionar contra o estado ter o direito de decidir sobre a vida das pessoas, sendo assim não há o que falar dele.

No entanto somos obrigados a falar de prefeitos e governadores que resolveram brincar de Deus e decidir sob todas as ações concernentes da vida de cada um, e sob aspectos que somente Deus teria condições de arbitrar.

Estou falando de dois assuntos, sendo que o primeiro que tratarei é o aspecto econômico, o qual todos sabemos apresenta um índice de mortalidade muito maior que qualquer doença que ora se apresente. Não estou aqui minimizando ou afrontando a dor daqueles que perderam entes e amigos queridos por conta da COVID ou de qualquer outra doença. Perdi meu pai o ano passado e sei a dor que me causa tal ausência. Ele faleceu de câncer nos pulmões por conta do cigarro, mas nem por isso abri uma cruzada para impedir a indústria do tabaco de receber seus lucros pela venda de cigarros.

Alguns podem dizer que fumar era um ato de escolha do meu pai, e que isso não pode ser tomado como contraexemplo no caso do COVID. Eu discordo, uma vez que os que acreditam na quarentena como forma de prevenção e que podem escolher ficar em casa, que fiquem, e permitam os que não acreditam que o ônus de ficar em casa seja maior que o bônus de sair de casa e se arriscar, saiam, e arrisquem-se tanto quanto aqueles que escolhem fumar.

Tudo isso trata-se do livre arbítrio que Deus nos deu. Ninguém pode retirar isso de cada um de nós. Desta forma cada ser humano deve decidir quais riscos e consequências esteja disposto a correr para sobreviver na selva moderna em que vivemos. No entanto, prefeitos e governadores resolveram retirar esse livre arbítrio de nós e colocaram sob suas responsabilidades nossas vidas. Agora, cada desempregado que venha a sentir fome no futuro próximo deve saber que a vida dele e de seus filhos são de única responsabilidade de prefeitos e governadores e em nada estão nas costas de nosso presidente.

Mas existe ainda um ato genocida de prefeitos e governadores que foi ainda pior que a quarentena imposta. Estamos falando da liberação do comércio em curtos espaços de tempo após grande período de abstinência de consumo da população. Estamos falando da falsa preocupação com o comércio por parte de prefeitos que permitiram a reabertura de lojas, bares e restaurantes em curtos espaços de horário comercial. Estamos falando desta estratégia homicida, a qual resultou em aglomerações, e que com certeza já está gerando um aumento nos casos da doença causada pelo COVID.

Sim leitores! É triste constatarmos que aqueles políticos que detém o poder de permitir ou proibir nosso direito de ir e vir, tenham feito uma maldade dessa com a população de forma dolosa. No entanto, como esses prefeitos e governadores gostam de bradar, eles estão com a ajuda dos especialistas, e assim te pergunto: “Será que qualquer especialista de meia tigela não iria alertá-los para o fato que diminuir o horário de funcionamento do comércio aumentaria muito a transmissão do vírus?”. Para mim, tudo isso foi de caso pensado para aumentar a importância desta doença que é não é um vírus, mas é a política brasileira.

Se aumentar as mortes em nossa cidade, já sabemos a mão de quem estará suja de sangue!

 

Rodrigo Andolfato é empresário da Construção Civil, membro do ilan – Instituto Liberal da Alta Noroeste

Veja também

Araçatuba tem terceira morte do ano por covid; Birigui ultrapassa 4 mil atendimentos de síndromes gripais em uma semana

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA E REGIÃO Com mais 502 casos de covid-19 registrados em Araçatuba …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *