PONTO DE VISTA

Compartilhe esta notícia!

Psicoterapia, Qualidade de Vida e Saúde.

As ciências Humanas, Sociais e Biológicas estão em constantes movimentos a fim de desenvolver meios para evitar, remediar e restabelecer o (des)equilíbrio das pessoas e assim proporcionar uma vida com qualidade. Isto pode ser melhor conferido pelo trabalho que realizam os terapeutas, enfermeiros, médicos, dentistas, psicólogos, fonoaudiólogos, educadores físicos, professores, pedagogos, policiais, etc.
Nesse contexto a Psicoterapia se apresenta como um tratamento, baseado na relação de confiança entre uma pessoa e um(a) psicólogo(a), voltada para facilitar reflexões e encontrar significados aos fenômenos vivenciados no cotidiano, além de se propor a minimizar um sofrimento ou dor emocional ligada as questões pessoais, familiares, conjugais, profissionais, sociais, enfim de relacionamentos.
Os procedimentos utilizados pelo(a) psicólogo(a) criam um ambiente facilitador com empatia, aceitação e respeito para que a pessoa possa encontrar em si recursos e meios para identificar e solucionar situações de conflitos, traumas emocionais, problemas ou distúrbios físicos ou emocionais, sendo tudo realizado considerando, especialmente, o potencial da própria pessoa em se curar.
Pode ser feita individualmente, em casal, família ou grupo, a depender da necessidade da pessoa, independentemente de gênero e idade, e não há qualquer restrição sobre os conteúdos a serem falados, sendo estes escolhidos livremente pelo cliente, que é quem sabe o que o incomoda ou adoece, em sua intimidade.
No geral, as sessões acontecem semanal ou quinzenalmente, mas pode ocorrer de serem necessárias até duas vezes na semana, em situações mais complexas e há também as situações emergenciais. Sobre a duração, se meses ou anos, dependerá da situação e, especialmente, de cada pessoa. Para que não haja prejuízo ao tratamento, o mais adequado é que as sessões não tenham intervalos longos, pois isso compromete a progressão e os resultados desejados. Portanto, não há uma receita pronta e o paciente poderá encerrar o tratamento no momento que desejar.
Importante lembrar que a psicoterapia está protegida pelo sigilo e ética profissional, ou seja, o(a) psicólogo(a) é proibido de fazer qualquer comentário com outra pessoa sobre o paciente, suas falas e mais ainda de julgá-lo pelo jeito de ser, pensar, comportar-se, seus valores, crenças, religião, etc.
Por esta prática, que não é meramente um bate papo ou desabafo, é desenvolvido o autoconhecimento, priorizada a autoestima, a autoconfiança, a autocrítica, a espiritualidade, pois durante as sessões muitas são as reflexões que faz a pessoa questionar-se, como exemplo: “por que estou sentindo isto”, “que provocou este sentimento em mim”, “por que estou agindo assim”, “por que tomei esta decisão e fiz isto” “por que estou me sentindo infeliz”, “sou uma pessoa agradável”, “quem sou eu realmente”. Enfim, o(a) psicólogo(a) facilita e estimula a pessoa buscar respostas em de si mesma para seus problemas.
Com isto a pessoa passa a se permitir e respeitar mais, o que leva a um estado de maior realização, serenidade e felicidade, reduzindo o estresse, ansiedade, tristeza, depressão, etc., desse modo proporcionando melhores condições para sua Saúde e Qualidade de Vida.

Coronel PM PAULO AUGUSTO LEITE MOTOOKA
Comandante da Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo
Mestre e Doutor em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública
Bacharel em Psicologia, Direito e Especialista em Direito Ambiental


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Adolescente é levado a força em porta-malas de veículo

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA No domingo (7) à tarde um adolescente de 16 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *