O Réveillon mais aguardado *Vanilda Maria Barboza Como rito de passagem, o Réveillon é sempre muito aguardado, mas, talvez, poucas vezes tanto quanto o de 2021. Aguardamos ansiosos por esta virada, deixando para trás o período em que precisamos lidar com a maior emergência de saúde em 100 anos. Marcado por incertezas e perdas devido à Covid-19, queremos nos despedir logo de 2020. É enorme a expectativa pela celebração de um novo ciclo, historicamente ligada à ideia de renovação, principalmente com a distribuição de vacinas, dando esperança a todos por uma retomada da vida normal, sem a doença. De acordo com psicólogos comportamentais e especialistas em neuropsicologia, os ciclos são muito importantes para o nosso processo de crescimento e de evolução. Quando encerramos um, temos a oportunidade de começar outro e experimentar as suas peculiaridades, desafios e aprendizados. Portanto, é saudável o renovar de energias ao trocar calendários, lembrando que quem não se permite encerrar um ciclo fica em uma espécie de luto prolongado e por isso sofre, se entristece e se deprime. Aproveito aqui para me solidarizar a todos que perderam um ente querido por conta do coronavírus. Mas, neste momento, também é preciso ter postura equilibrada nas questões sanitárias. A contagem regressiva não deleta a necessidade de respeito aos protocolos de biossegurança. Isso vale para a própria comemoração, quando tendemos a reunir parentes e amigos, promovendo aglomeração, assim como para as primeiras ações do Ano Novo. Continuam valendo o distanciamento, a máscara, o álcool em gel e tudo mais que as autoridades de saúde recomendam, pois o fato é que a Covid-19 não sumirá de uma hora para outra, como num passe de mágica. Ouçamos os profissionais de saúde que estão na linha de frente desta batalha. Verdadeiros heróis, e embasados em dados científicos, eles corajosamente colocam a vida em risco para garantir que estejamos a salvo. Merecem a nossa gratidão e todo o nosso respeito. A todos, muito obrigado! Governos têm papel inegável em todo este processo de combate à doença, mas, de forma prática e rotineira, a postura de cada cidadão frente à pandemia também é extremamente importante para não colocar em risco a sua própria vida e a alheia, principalmente de aqueles que fazem parte do grupo de risco. Mais do que nunca, os ensinamentos cristãos são essenciais, especial e resumidamente o amor ao próximo. Precisamos continuar a nos cuidar uns dos outros. Que, de alguma forma, 2020 tenha sido um ciclo de aprendizado. E que tenhamos esperança. Seja muito bem-vindo, 2021! *Vanilda Maria Barboza é presidente da Associação de Amparo ao Excepcional Ritinha Prates, de Araçatuba (SP)

PONTO DE VISTA

Compartilhe esta notícia!

O Réveillon mais aguardado

*Vanilda Maria Barboza

Como rito de passagem, o Réveillon é sempre muito aguardado, mas, talvez, poucas vezes tanto quanto o de 2021. Aguardamos ansiosos por esta virada, deixando para trás o período em que precisamos lidar com a maior emergência de saúde em 100 anos. Marcado por incertezas e perdas devido à Covid-19, queremos nos despedir logo de 2020. É enorme a expectativa pela celebração de um novo ciclo, historicamente ligada à ideia de renovação, principalmente com a distribuição de vacinas, dando esperança a todos por uma retomada da vida normal, sem a doença.

De acordo com psicólogos comportamentais e especialistas em neuropsicologia, os ciclos são muito importantes para o nosso processo de crescimento e de evolução. Quando encerramos um, temos a oportunidade de começar outro e experimentar as suas peculiaridades, desafios e aprendizados. Portanto, é saudável o renovar de energias ao trocar calendários, lembrando que quem não se permite encerrar um ciclo fica em uma espécie de luto prolongado e por isso sofre, se entristece e se deprime. Aproveito aqui para me solidarizar a todos que perderam um ente querido por conta do coronavírus.

Mas, neste momento, também é preciso ter postura equilibrada nas questões sanitárias. A contagem regressiva não deleta a necessidade de respeito aos protocolos de biossegurança. Isso vale para a própria comemoração, quando tendemos a reunir parentes e amigos, promovendo aglomeração, assim como para as primeiras ações do Ano Novo. Continuam valendo o distanciamento, a máscara, o álcool em gel e tudo mais que as autoridades de saúde recomendam, pois o fato é que a Covid-19 não sumirá de uma hora para outra, como num passe de mágica.

Ouçamos os profissionais de saúde que estão na linha de frente desta batalha. Verdadeiros heróis, e embasados em dados científicos, eles corajosamente colocam a vida em risco para garantir que estejamos a salvo. Merecem a nossa gratidão e todo o nosso respeito. A todos, muito obrigado!

Governos têm papel inegável em todo este processo de combate à doença, mas, de forma prática e rotineira, a postura de cada cidadão frente à pandemia também é extremamente importante para não colocar em risco a sua própria vida e a alheia, principalmente de aqueles que fazem parte do grupo de risco.

Mais do que nunca, os ensinamentos cristãos são essenciais, especial e resumidamente o amor ao próximo. Precisamos continuar a nos cuidar uns dos outros. Que, de alguma forma, 2020 tenha sido um ciclo de aprendizado. E que tenhamos esperança. Seja muito bem-vindo, 2021!

*Vanilda Maria Barboza é presidente da Associação de Amparo ao Excepcional Ritinha Prates, de Araçatuba (SP)


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Cerca de 150 policiais devem completar ciclo da vacinação contra a covid nesta terça em Araçatuba

Compartilhe esta notícia!DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA Policiais e agentes de segurança que não tomaram a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *