PONTO DE ENCONTRO

MÃE TERRA DESPEDAÇADA

Fábio Ricardo Ambrósio

Bom dia, mãe Terra querida,
Perdoe nossos pecados
Somos cúmplices de suas cicatrizes
Algozes da destruição detonada

Nessa luxúria gananciosa
Nossas bocas se espumaram
Ceifamos suas florestas
Seu sangue foi derramado

Em seus céus nós subimos
Reinos foram conquistados
Mãe Terra te poluímos
Sete mares navegados

Hora de enfrentar sua lei
Silenciosa como o orvalho
A morte se apressará
Se os humanos não te respeitarem

Enquanto o homem continuar
Empunhando a tocha da destruição
Mãe Terra devolverá
A dor de nossa traição

A ampulheta do nosso tempo
Arrasa nosso momento
Como areia fina se escapando
Rapidamente entre nossos dedos

De joelhos agora estamos
Relembrando o que fizemos
Consequências estão chegando
Na luz do nosso entendimento

Filhos nos perdoem
Somos orgulhosos e doentes
Tiramos de vocês
Ar puro e água decente
Destruímos o meio ambiente
Não pensamos nos descendentes
Herdarão nossa semente
Tóxica, infértil e demente

Oh, Mãe Terra querida,
Carregando tantas feridas
Segue calada esfaqueada
Com sua crosta despedaçada.

 

c2 - Ponto de encontro
Palavras:
Algozes: Pessoas que agem com crueldade, realizando atos horríveis ou abomináveis.
Ampulheta: Também é conhecida como relógio de areia.
Crosta: é a camada mais externa da litosfera de um planeta ou corpo celeste.

 

Veja também

Caminhão tomba e caiu em rio na Assis Chateaubriand

FOTOS CEDIDAS: IVAN AMBRÓSIO/JORNAL INTERIOR Um caminhão carregado com cimento tombou e caiu em um …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *