6.4 C
Araçatuba
quinta-feira, maio 19, 2022

MUNICÍPIO COMEÇA A RECEBER PROPOSTAS PARA CENTRO FERROVIÁRIO

O plenário da Câmara de Araçatuba ficou lotado, no final da tarde de ontem, para a consulta pública sobre a revitalização do Centro Cultural Ferroviário. O debate foi promovido pela Secretaria Municipal de Cultura e o Instituto Pedra, entidade sem fins lucrativos de São Paulo que atua no ramo da restauração, com o objetivo de receber sugestões da sociedade sobre o que pode ser feito no local. Por aproximadamente três horas, representantes dos artísticos e político discutiram a situação do antigo imóvel pertencente ao município.

Segundo o diretor presidente do instituto, Luiz Fernando de Almeida, a ideia da audiência foi levantar possíveis usos para o local, conciliando o projeto de recuperação da construção com os interesses da comunidade. “Trata-se de um projeto público, para toda a cidade, que pode ter um papel muito importante no município”, afirmou o dirigente, que, ainda durante o evento, apresentou o levantamento feito até agora sobre a edificação.

Embora ainda não haja uma definição a respeito de como vai funcionar a antiga oficina de locomotivas de Araçatuba, o prefeito Dilador Borges (PSDB) falou na possibilidade de um espaço cultural. “A ideia é que a cidade conte com um espaço cultural que nos ajude em várias ações e que a história seja revivida e eternizada”, declarou.

Também presente à audiência, o secretário municipal de Planejamento, Ernesto Tadeu Capela Consoni, explicou que, sob o ponto de vista estrutural, primeiramente, é necessária uma análise da parte de alvenaria e de madeira. “Precisamos ver se dá para aproveitar aquela estrutura ou não dá. Podemos fazer um reforço de estrutura, com alvenaria periférica. Se não der, fazer a estrutura metálica com forro, que é muito mais leve. Recuperar tudo tem jeito, por isso, vamos ver o hoje (ontem) o que a população tem a dizer para a execução das próximas etapas.”

Conforme O LIBERAL REGIONAL noticiou na edição do último sábado, a consulta pública foi uma das fases do processo de revitalização. Feito isso, será elaborado o plano de restauro e adaptação, com ações nos campos da cultura, educação, lazer e do turismo. Desde 2016, a Prefeitura mantém parceria com o Instituto Pedra para a revitalização da edificação. A recuperação do centro, porém, não terá investimento direto do poder público local.

O projeto será do Instituto Pedra e já foi aprovado pelo Proac (Programa de Ação Cultural) da Secretaria de Estado da Cultura, que utiliza dinheiro do governo paulista através do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). A aprovação ocorreu em maio deste ano, no valor de R$ 499.487,24 para início da captação de verba.

Pela parceria, o instituto elabora o projeto e o realiza de forma efetiva, captando recursos de ICMS nas empresas. Conforme a secretária municipal de Cultura,Tieza Marques de Oliveira, na primeira fase, o recurso utilizado foi captado pelo Instituto Pedra junto à Havan. Os patrocinadores poderão, depois, descontar o valor desse investimento do ICMS devido. O papel da Prefeitura será o de oferecer toda a logística para a realização do projeto.

Apesar de ser o único bem do município tombado pelo (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo), a construção está interditada desde 2009 por risco de desabamento. Até então, vinha sendo usado para feiras, exposições e atividades culturais.

Arnon Gomes

Ultimas Noticias