HOMENAGEM - Câmara Municipal aprovou o nome de Júlio César Delfino ao Calçadão em homenagem ao bombeiro falecido

Mais de 2 anos depois, prefeitura ainda não providenciou homenagem a bombeiro morto em incêndio no calçadão

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Uma homenagem já aprovada pela Câmara Municipal e ainda não cumprida pela prefeitura de Araçatuba foi motivo de um ofício enviado ao poder executivo municipal. Com lei aprovada por vereadores em julho de 2019, até o momento a prefeitura ainda não providenciou a homenagem ao sargento Júlio César Delfino, morto aos 35 anos, no dia 12 de abril de 2019, durante combate ao incêndio que atingiu a loja Cris Park, no calçadão.
Em ofício enviado no último dia 14 de outubro pelo vereador Lucas Zanatta (PV), o parlamentar cobra da prefeitura uma resposta sobre quando será feita a homenagem ao sargento. O ofício ainda não foi respondido pelo poder público municipal. Em contato, a Associação dos Lojistas do Calçadão informou que não há, por enquanto, nenhuma iniciativa de homenagem ao bombeiro que faleceu no exercício do seu trabalho. A Associação também afirmou que não foi informada sobre a lei aprovada pelo legislativo.
A aprovação se deu em 1 de julho de 2019. O projeto de lei foi de autoria dos então vereadores Carlinhos Santana (Solidariedade) e Professor Cláudio Henrique da Silva (PMN), e denomina de Sargento Júlio César Delfino o calçadão da Marechal entre a praça Rui Barbosa e a rua Dom Pedro I, com a referida lei entrando em vigor na data de sua publicação.
Porém, 2 anos, 3 meses e 26 dias depois, não há nenhuma placa indicando o novo nome do calçadão em homenagem ao bombeiro e não há resposta da prefeitura sobre o assunto.
A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL esteve na casa do pai do bombeiro falecido no incêndio. João Delfino, de 79 anos, afirmou que até agora aguarda uma resposta da prefeitura e se emocionou ao relembrar o filho falecido no incêndio.
“Até agora nada. Pedi para um amigo meu procurar saber, mas o resultado que ele trouxe não me agradou muito não, mas como eu não sei como são essas coisas eu estou aguardando ainda uma resposta”, disse João Delfino sobre a homenagem ainda não realizada. “Seria muito importante, não vai trazer ele, mas a honra do nome e do trabalho dele, seria uma honra muito grande pra mim”, disse.
Ao relembrar o filho, João Delfino se emocionou e disse que além da relação pai e filho, ambos tinham relação de amigos, que acabou interrompida pela tragédia.
“Era demais, nós éramos dois amigos além de tudo, muito respeitoso, eu não tenho palavras para colocar o que ele é”, afirmou emocionado o pai do sargento.
O vereador Lucas Zanatta, autor do ofício, disse que ainda aguarda uma resposta da prefeitura, 12 dias depois do encaminhamento, e acredita que dentro todas as homenagens feitas pela Câmara, esta seria uma que, de fato, teria a importância e a relevância necessárias.
“Mesmo tendo muita produção inócua e desnecessária no legislativo municipal, neste caso específico nós tivemos uma triste história, onde nós perdemos um bombeiro em um incêndio e uma das coisas que nós temos que fazer como sociedade, é lutar para que isso não ocorra mais, mas não perder a memória e a honra daqueles que nós perdemos nestes momentos difíceis”, afirmou.
Segundo o parlamentar, a homenagem além de ser uma lembrança do bombeiro, ainda serviria para ajudar a evitar que fatos como esse do incêndio não ocorram mais através da lembrança do que ocorreu em 2019.
“Não podemos esquecer que houve essa situação e que há homenagem devida a um bombeiro. O tempo passou e nós não podemos deixar passar, nós temos que gerar uma memória de honra e lembrar do que ocorreu para que não ocorra mais, e uma das formas são as homenagens. Isso sim é uma homenagem válida, importante, de um momento triste”, ressaltou.
Por enquanto, ainda não houve resposta da prefeitura sobre a homenagem, de acordo com o parlamentar.
“Isso foi votado na legislação passada, já faz um bom tempo. Estou aguardando, não tive resposta ainda, mas já está aprovado e é necessário até nós, como parlamentares, nos preocuparmos com aquilo que realmente é necessário, é válido, e que as leis aprovadas sejam sancionadas de uma forma meritocrática”, completou.

Incêndio
No começo da tarde do dia 12 de abril de 2019, uma sexta-feira, bombeiros foram ao combate de um incêndio na loja de acessórios e presentes Cris Park, no calçadão de Araçatuba.
No combate às chamas, o sargento Júlio César Delfino acabou sendo soterrado e faleceu. Seu corpo foi encontrado algumas horas depois de o incêndio ter sido controlado.
Já o bombeiro Alex Silva de Abreu teve parte do corpo queimado e precisou ser internado. Ele recebeu alta médica em 7 de junho de 2019.

TRAGÉDIA – Incêndio ocorrido em 12 de abril de 2019 matou um bombeiro e deixou outro ferido
INDICAÇÃO – Placa instalada pela prefeitura no Calçadão não faz menção nenhuma ao bombeiro

 

Veja também

Região tem pouco mais de 72% da sua população totalmente imunizada contra a covid-19

Diego Fernandes – Araçatuba Durante esta semana, ao decidir sobre a flexibilização do uso de …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *