22.6 C
Araçatuba
quarta-feira, maio 25, 2022

Maiores cidades da região contam com quase 6 mil fuscas em circulação

Diego Fernandes – Araçatuba

Dados do Detran SP apontam que, apesar de não ser mais fabricado, o Fusca continua sendo um carro comum aos brasileiros. Não é nada difícil se deparar com um modelo do veículo da Volkswagen andando pelas ruas na região. Neste dia 20 de janeiro é comemorado o “Dia Nacional do Fusca”, por conta da data do início da fabricação do carro no Brasil, em 1959.
Segundo levantamento solicitado pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, as quatro maiores cidades da região possuem juntas 5.828 exemplares do carro mais popular do país em todos os tempos.
Araçatuba lidera a conta com 2.442 exemplares do Fusca, seguida por Birigui, que possui 1.543 carros. Penápolis atualmente possui 1.024, enquanto Andradina está com 819 Fuscas atualmente. De acordo com informações do Detran SP, atualmente são 648.571 Fuscas ativos e circulando no estado.
São muitos os apaixonados pelo carro na cidade. O conferente Júlio César Garcia, que faz parte da diretoria do VW Air Cooled Araçatuba, um clube de carros antigos da cidade, é um deles e possui dois Fuscas em sua coleção.
Os carros ganharam até nome. O modelo 1.300 cilindradas de 1977 é chamado de “Wasabi” por causa da sua cor verde. Já o modelo Fuscão de 1979, na cor preta, é chamado de “Labareda” por conta de uma história curiosa.
“O Labareda tem uma história legal que eu comprei ele para restaurar e levando ele na restauração, na funilaria e pintura, ele pegou fogo. Um erro mecânico. Eu não tinha condições de continuar o projeto de restaurar ele. Juntou uns amigos meus e sequestraram o Labareda, levaram pra Lins, e restauraram ele, depois de dois anos e meio me entregaram o carro pronto”, contou Garcia.
Ele conta que a paixão pelo automóvel vem desde criança e também explica que já teve outros modelos, com outros nomes, antes de possuir seus dois atuais Fuscas.
“A paixão vem desde criança. Eu morava em São Miguel Paulista e meu primo tinha um Fusca 63 marronzinho, que tinha o apelido de ‘Pois É’, eu escutava de longe ele chegando e essa paixão só foi crescendo de lá pra cá. Vários encontros, várias histórias de carros antigos”, conta. “Em 2009 eu comprei meu primeiro Fusca, o Chocolate, um Fusca 76 1.500, e daí pra cá eu me envolvi, já era envolvido com carro antigo desde 2002, 2003, quando eu morei em Jaú. Foi só aumentando a paixão, aumentando as amizades no antigomobilismo”, seguiu.
Garcia conta que tem o objetivo de ter até cinco Fuscas em sua coleção. Por isso, afirma que não vende seus dois atuais exemplares do carro, que estão em perfeito estado de conservação.
“Jamais venderia meus Fuscas, esses dois eu não venderia jamais. Posso até comprar outros pensando em restaurar para vender, mas a minha grande vontade é ter cinco Fuscas”, completou.

Exposição e Carreata
Júlio César Garcia é o responsável pela exposição de Fuscas que ocorre desde o último sábado no Shopping Praça Nova, em Araçatuba, em alusão ao Dia Nacional do Fusca, comemorado hoje.
A exposição ocorre até hoje na ala de eventos do shopping. Durante o evento, consumidores do Praça Nova que chegam ao local de Fusca são isentos do pagamento do estacionamento, como uma forma de homenagem ao veículo.
À noite, haverá uma carreata de Fuscas organizada pelo grupo de carros antigos de Garcia, que sairá da Praça Olímpica em direção ao Shopping Praça Nova, que marcará o encerramento da exposição e as comemorações ao dia nacional do Fusca.

História
O Fusca é vendido no Brasil desde 1950, quando chegava desmontado da Alemanha, sendo que a montagem do veículo era feita pela Brasmotor. A Volkswagen assumiu a montagem apenas em 1953.
A produção nacional começou em 1959 em um galpão de São Paulo (SP). A produção durou até 1986, quando houve a primeira pausa. Logo depois, o carro voltou a ser fabricado no país entre 1993 e 1996 e depois disso ficou com produção exclusiva no México, encerrada em 2003 na versão tradicional, e em 2019 na versão New Beetle.

Ultimas Noticias