Home Cidades Araçatuba Gestão de Dilador Borges Damasceno terá de explicar contratação de OS alvo de operação policial

Gestão de Dilador Borges Damasceno terá de explicar contratação de OS alvo de operação policial

7 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

A gestão do prefeito Dilador Borges Damasceno (PSDB) vai ter que explicar à Câmara sua relação com a irmandade Santa Casa de Birigui, OS (Organização Social) investigada pela Polícia Civil na Operação Raio-X, ocorrida há duas semanas e que resultou na prisão de envolvidos em amplo esquema de desvio de recursos públicos da saúde.

Durante sessão ordinária, os vereadores aprovaram requerimento do vereador Arlindo Araújo, que pede ao Executivo informações sobre o contrato firmado pelo governo tucano com a instituição do município vizinho.

Dentre os questionamentos aos quais a administração municipal terá de responder, estão o valor pago pela OS desde o início do contrato até a presente data, quantos aditamentos foram feitos nesse período e qual a data prevista para o término contratual com essa organização.

Desde 2018, a Prefeitura de Araçatuba mantém contrato com a OS Irmandade da Santa Casa de Birigui para gestão do Pronto-Socorro Municipal Ainda Vanzo Dolce.

Na operação, foram cumpridos 237 mandados de busca e 64 de prisão temporária em dezenas de municípios do Estado de São Paulo, além de cidades do Pará, Paraná, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. Um dos presos foi o presidente da OS, Cláudio Castelão, que também é uma das lideranças, em Birigui, do PSDB, partido político de Dilador. Castelão teve sua prisão preventiva pela Justiça uma semana após a realização da operação policial.

DOIS ANOS

Faz mais de dois anos que a Santa Casa de Birigui iniciou a gestão do PS Municipal. A irmandade assumiu o serviço em 17 de abril de 2018 após vencer licitação aberta pelo governo Dilador para gerenciamento dos serviços de urgência e emergência da rede municipal de saúde. Na época, o contrato anual foi firmado no valor de R$ 1.455.303,05.

O hospital biriguiense, na condição de OS, substituiu a Santa Casa de Andradina, cujo contrato terminou em 19 de março de 2018.

A gestão da Santa Casa de Birigui assumiu com uma série de desafios. Um deles, manter a qualidade de atendimento. “Nossa prioridade é trabalhar com atendimento coerente, baseado na humanização, como a Prefeitura quer”, disse Castelão, na oportunidade, em entrevista ao jornal O LIBERAL REGIONAL.

Com essa gestão, foi colocada em prática medida anunciada por Dilador em janeiro de 2018: a transferência da sede do pronto-socorro da rua Dona Ida para o prédio do Hospital Sant’Ana, no Centro.

FUNÇÕES

De acordo com o contrato, dentre as principais atribuições da OS, estão o gerenciamento, a operacionalização e a execução de ações e serviços de saúde no PS Municipal e na Central Regulação Médica e Transporte de Urgência e Emergência, em regime de 24 horas por dia, assegurando a assistência universal e gratuita à população.

O contrato de um ano é renovável por mais um ano até o limite de 60 meses.

A irmandade iniciou os trabalhos já assumindo, dia e noite, os serviços médicos de ortopedia e clínicos gerais, técnico de gesso, técnico de raio x, controladores de fluxo, serviços de laboratório, plantões do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e limpeza. Com a transferência do PS Municipal para o Hospital Santana, houve a incorporação de mais serviços.

O contrato do hospital com a administração municipal foi assinado na manhã de 9 de abril pelo prefeito, a secretária municipal de Saúde, Carmem Silvia Guariente, e representantes da entidade.

COBRANÇA – Vereador Arlindo Araújo cobra esclarecimentos da Prefeitura em relação ao contrato com a OS de Birigui

Compartilhe esta notícia!