18.2 C
Araçatuba
segunda-feira, maio 16, 2022

Filha fará biografia em homenagem à mãe, escritora que começou seu legado aos 79 anos

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Diversas mulheres se destacam durante a sua passagem na Terra. Para a professora Sônia Pereira, a sua mãe, a escritora Edite de Souza, foi uma destas pessoas e, para manter a sua memória viva, está montando uma biografia contando um pouco da vida de sua progenitora. 

Edite faleceu no último dia 13 de janeiro aos 97 anos de idade. Esposa de fazendeiro e nascida no estado da Bahia, após ficar viúva e mudar-se para Araçatuba, colocou em prática o seu sonho de escrever e lançou seu primeiro livro aos 79 anos de idade.

Com “Sonhos Avulsos”, Edite deu início a uma série de seis publicações que disponibilizou até os seus últimos meses de vida. Para a filha Sônia, sua mãe conseguiu expressar através das publicações tudo o que ficou guardado durante a vida.

“Minha mãe era uma mulher tímida, sonhadora, discreta, romântica, vivendo em um sistema patriarcal, onde a mulher não tinha voz para colocar os seus sonhos para fora. Foi quando ela me contou os sonhos, e aos 79 anos resolveu escrever o primeiro livro”, contou Sônia à reportagem.

Sônia fala com carinho e saudades de sua mãe e afirma que seu legado foi importante e precisa ser propagado, trabalho que passará a fazer a partir de agora, com a montagem da biografia.

“Eu nunca conheci ninguém na minha vida que amasse Deus como a minha mãe. Nunca conheci ninguém que amasse por amar, sem pedir nada em troca. Era calma, era triste, mas apesar disso ela sonhava; os livros dela falam de perdão, de solidariedade, de ternura”, contou. 

Ao longo da vida, Edite recebeu diversas homenagens e chegou a ser lembrada em homenagem proposta pelo vereador Dunga, então presidente da Câmara Municipal de Araçatuba, em 2005. Seus textos foram publicados na imprensa, incluindo o jornal O LIBERAL REGIONAL.

Sônia acredita que uma das coisas mais importantes do legado de sua mãe é a perseverança, já que a idade não foi obstáculo para Edite colocasse seu sonho em prática.

“Vai ser quase impossível eu continuar o legado dela, é o meu motivo para viver é continuar o legado dela: amor, perdão, gratidão, luz, quietude, minha mãe era isso”, afirmou. “Minha mãe deixou a lição de que temos que batalhar, mesmo enfrentando adversidades, foi uma mulher guerreira”, completou.

Atualmente, Sônia já possui material com reportagens, fotos, e histórias sobre Edite de Souza, que farão parte da biografia de sua mãe. 

Os livros lançados por Edite durante sua vida foram: “Sonhos Avulsos”, “Carinha de Boneca”, “Brincadeiras de Criança”, “A história de João Bobão”, “O filho do Sapateiro”, e “Canções de Ninar e outras histórias”. 

 

Ultimas Noticias