Fábio Bombarda ‘Trabalhar a prevenção é pensar no próximo’

Compartilhe esta notícia!

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

O médico intensivista e infectologista Fábio Bombarda, um dos mais respeitados profissionais da área na região, concedeu entrevista ao SRC (Rádio Clube FM e O LIBERAL REGIONAL), na qual bordou os cuidados que devem ser observados para prevenção ao coronavírus. “Trabalhar a prevenção, é pensar no próximo”, diz o médico infectologista.
Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Marília (Famema, 2003), título de especialista em Terapia Intensiva pela AMIB/AMB (Associação Médica Brasileira). Médico intensivista concursado do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (São Paulo), médico intensivista da UTI adulto da Santa Casa de Araçatuba (Hospital de referência terciária do noroeste paulista), preceptor do programa de Residência Médica e coordenador do Núcleo de Ensino e Pesquisa (NEP) da Santa Casa de Araçatuba e com larga experiência
Natural de Araçatuba, Bombarda decidiu retornar à cidade natal para exercer a profissão, tendo atuado em várias áreas, como diretor do Departamento de Serviços Especializados da Secretaria de Saúde da Prefeitura Municipal de Araçatuba; médico infectologista da Vigilância Epidemiológica e médico Infectologista no ambulatório DST/AIDS/Hepatites regional. Atuando na Santa Casa desde 2004, fez miolhares de internações e avaliações clínicas hospitalares. Foi também responsável do serviço de Tuberculose e Micobacteriores de referência secundária e terciária (macroregião), destacado com 5 premiações anuais de excelência desde 2009 fornecidas pela Secretaria de Saúde do Estado.

Infectologista alerta para os cuidados que devem ser observados para conter avanço do coronavírus

O médico infectologista falou sobre o surgimento de vírus, como ocorreu há mais de 10 anos com o H1N.
“Alguns vírus com material genético, constituído por RNA, como por exemplo, o vírus da gripe, que é o Influenza, e o próprio coronavírus, tendem a sofrer frequentes mutações, de tempos em tempos, e essas mutações vão determinando novos vírus, com aspectos diferentes. E que nosso sistema imunológico não reconhece, e aí determinando portanto, novas doenças. Por isso, por exemplo, nós temos que tomar vacinas contra a gripe todos os anos, pois os vírus vão se modificando com certa frequência”, alertou o médico.
Segundo Fábio Bombarda, aspecto importante, “é que o coronavírus, em relação aos demais vírus, que são transmitidos por via aérea, parece que ele determina uma maior mortalidade, e traz mais complicações respiratórias”. “Tanto em idosos, como pessoas com doenças crônicas, que tem a imunidade debilitada, mais do que o H1N1.
Apesar de termos passado por uma pandemia do H1N1, o que chama a atenção é que as pessoas no geral, acabaram por descuidar da questão da etiqueta da tosse, dos hábitos da prevenção das doenças respiratórias. Não só do coronavírus, mais de resfriados, gripes, diversos vírus são transmitidos por via respiratórias”, acrescentou o médico.
Para o médico, as pessoas devem pensar sempre na prevenção. “Trabalhar a prevenção, é pensar no próximo. Quando a gente trabalha a ideia da prevenção das doenças, principalmente das doenças respiratórias, a gente está pensando no outro.
Aqueles que tem, sintomas gripais, ainda que não seja o coronavírus, pode ser um resfriado, se está espirrando, com sintomas de gripe, devemos sempre, antes de sair de casa, colocar uma máscara, caprichar na higiene das mãos. Evitar ainda mais ambientes aglomerados, pensando em não transmitir nenhuma doença para os outros”, recomenda o médico.
Segundo Fábio Bombarda, é muito importante manter uma boa saúde, uma boa alimentação, tomar bastante líquido, uma alimentação equilibrada, fazer atividade física, um bom sono. “Desta forma nós ajudamos o nosso corpo para ficar preparado para possíveis agressões e diversas doenças que podem vir”, recomendou.
Outro fato importante, que devemos respeitar os idosos, de maneira mais cuidadosa, cuidando com maior precaução, lembrando que as pneumonias e as doenças respiratórias são causas frequentes de mortes em idosos normalmente.
Agora com essa nova doença, devemos cuidar ainda mais, evitando expor os idosos e principalmente as pessoas que tem sua saúde debilitada, com doenças crônicas, pessoas em tratamento de quimioterapia, que usam medicamentos que fazem com que a imunidade fique ainda mais fragilizada. Essas pessoas devemos cuidar com maior atenção”, finalizou Fábio Bombarda.

COMO EVITAR

Para o especialista, para evitar o coronavírus é preciso tomar alguns cuidados.

* Evitar locais de grande aglomeração de pessoas

* Mantenha uma ventilação adequada em casa, mantenha sempre as janelas abertas, ambientes ventilados, o nosso ambiente de trabalho também

* Devemos sempre lavar as mãos com cuidado, lavar as palmas, lavar entre os dedos, as pontas dos dedos, o dorso das mãos, com frequência, com água e sabão, ou usar álcool gel. A higiene das mãos é importante porque o vírus na verdade, é transmitido por gotículas, que as pessoas eliminam ao falar, tossir, espirrar. Essas gotículas vão se depositar em superfícies, desde fechaduras de portas, maçanetas, mesas, em ambientes inanimados, e quando encostamos as mãos, nós vamos nos contaminar. Por isso a importância de lavar as mãos, porque eu ambiente fica contaminado.

*Evitar sempre colocar as mãos no rosto, olhos, a boca, isso a gente tem que evitar, principalmente com a mão suja.

* Um ponto importante é com relação a etiqueta da tosse, que é não espirrar ao ar livre, sempre usar um lenço, ou então espirra no antebraço, ou no punho. E se a gente for espirrar nas mãos, tem que lavar as mãos a seguir. Porque não só o coronavírus pode ser transmitido, mais o vírus da gripe, outros vírus simples que determinam o resfriado.


Compartilhe esta notícia!

Veja também

FUI TESTEMUNHA DA HISTÓRIA: o desastre da falta de auditoria dos votos

Compartilhe esta notícia!GISLAINE TARGA Na noite do dia 26 de outubro de 2014 aconteceu o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *