Home Cidades Araçatuba Estacionamento irregular, cinto de segurança e celular lideram as multas de trânsito

Estacionamento irregular, cinto de segurança e celular lideram as multas de trânsito

6 minutos de leitura
[adrotate banner="10"]
Compartilhe esta notícia!

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

As campanhas de educação e de conscientização no trânsito e a renovação da sinalização do trânsito de Araçatuba, aparentemente, deram resultado. No ano passado foram aplicadas 20.685 multas (infrações de competência do município), enquanto em 2018 foram 32.071 multas. A redução foi da ordem de 35%. As infrações campeãs são estacionar em desacordo com a sinalização, não usar o cinto de segurança e uso do celular ao volante.

A Secretaria de Mobilidade Urbana, a pedido da reportagem de O LIBERAL REGIONAL, divulgou o total das principais multas nos dois últimos anos. Em 2018, estacionar em desacordo com a sinalização – 10.208 multas – 31,80%; deixar o condutor de usar cinto de segurança – 5.119 multas, 15,50% do total e dirigir o veículo utilizando-se do telefone celular – 1.418 multas, 4,40% do total. Já em 2019, estacionar em desacordo com a sinalização teve 7.108 multas, 34,40% do total; deixar o condutor de usar cinto de segurança – 3.652 multas, 17,70% do total e dirigir o veículo utilizando-se do telefone celular – 909 multas, 4,40% do total.

“O desrespeito à legislação de trânsito é o maior problema em Araçatuba, que abrange a quebra de qualquer regra de circulação e conduta (manusear telefone ao celular, avanço de vermelho ou de parada obrigatória, excesso de velocidade, transitar em locais proibidos ou contrários ao sentido de circulação, efetuar paradas ou estacionamentos em locais proibidos, ultrapassar veículos pela direita, efetuar conversões em locais proibidos, etc). O excesso de velocidade possivelmente é causador de muitos acidentes, mas as vias municipais não dispõem de radar para este tipo de fiscalização”, informou Secretaria de Mobilidade Urbana.

Segundo Reginaldo Frare, assessor executivo da secretaria, continuamente a pasta atua em quatro frentes. As quatro frentes são: manutenção, instalação e reforço da sinalização vertical (placas), horizontal (sinalização de solo) e semafórica (vias em condições adequadas para trafegabilidade auxiliam na redução de acidentes); readequação das estruturas de circulação das vias municipais (alterações de trânsito de uma forma geral, como implantação de sentido único de circulação, que reduz pontos de conflitos nas vias). O trânsito deve fluir de forma constante, nem muito rápido, nem muito devagar, e sem pontos de retenção; fiscalização de trânsito (infelizmente o respeito às normas e sinalização de trânsito somente pode ser alcançado com uma fiscalização efetiva de trânsito; se os condutores souberem que há fiscalização e que podem ser multados, ou seja, sofrerem alguma pena pecuniária, a tendência é que os respeito às regras de trânsito seja maior); e campanhas educativas”, disse Reginaldo Frare.

Além disso, de acordo com nota da pasta, “as vias municipais são monitoradas através de um sistema informatizado da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, que emite relatórios gerenciais e são estudadas alternativas e medidas para a redução destes acidentes”.

“O município também faz parte do Programa do Governo do Estado de São Paulo denominado Respeito à Vida, que tem como objetivo principal a redução de acidentes e óbitos no trânsito”, finalizou a nota da secretaria.

 


Compartilhe esta notícia!
[adrotate banner="11"]