Doria corta pela metade ICMS para a indústria calçadista

Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – BIRIGUI

Um dos setores mais importantes da economia regional, o calçadista, ganhou ontem uma injeção de ânimo para pensar em dias melhores a partir do próximo ano. O governador João Doria (PSDB) anunciou, nessa terça-feira, corte pela metade do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) da indústria calçadista.
Com a medida, a carga tributária efetiva para os fabricantes de calçados será reduzida de 7% para 3,5%. O novo percentual passa a vigorar a partir de janeiro do próximo ano, impulsionando os polos calçadistas de Birigui (infantil), Jaú (feminino) e de Franca (masculino), onde o anúncio foi feito.
Durante visita àquela cidade, o chefe do Executivo estadual disse acreditar que, com menos imposto, o setor terá mais competitividade, este o principal objetivo a ser alcançado com a mudança na legislação do ICMS.
“Os calçados populares serão vendidos por preços mais convidativos e, portanto, mais competitivos no mercado brasileiro e também exportados. Igualmente, os calçados voltados ao público de alta renda também serão beneficiados. A redução permitirá que o industrial invista em design, embalagem, marketing e promoção, seja ela no Brasil ou fora do país”, declarou o governador, em nota enviada por sua assessoria. A mudança também produzirá melhor adequação da carga tributária, estendendo-se a toda a cadeia calçadista, como distribuidores e varejistas.
Há pelo menos 12 anos, a diminuição do imposto nesse patamar era anseio do empresariado desse segmento.
BEM-VINDA
O presidente do Sinbi (Sindicato da Indústria do Calçado e do Vestuário de Birigui), Samir Nakad, acompanhou a visita de Doria a Franca, junto com o líder da entidade patronal de Jaú, Caetano Bianco Neto.
Em entrevista ao jornal O LIBERAL REGIONAL, por telefone, o biriguiense disse: “O setor recebeu muito bem essa notícia. Nós participamos ativamente. Há aproximadamente seis meses, estávamos em tratativas com governo. Foram mais de dez reuniões. Só com o governador, tivemos duas reuniões. Isso, além de secretários e todo o corpo técnico do governo. Ontem (segunda-feira), conseguimos chegar a um consenso quanto ao que seria bom”.
Conforme o LIBERAL noticiou em 3 de julho deste ano, umas das principais bandeiras dos calçadistas era de que o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), com equiparação ao de outros Estados.
Para Samir, o setor calçadista precisa muito dessa adequação, especialmente por causa da concorrência das empresas localizadas em Minas Gerais e também de outros estados com ICMS menor para fabricantes de calçados.
O representante do polo de Birigui disse que, nos próximos dias, serão divulgas informações mais “refinadas” sobre o assunto, inclusive com a publicação do decreto, estabelecendo a nova alíquota. “Com o decreto em mãos, teremos condição de explicar tudo para os industriais, fornecedores e lojistas, especialmente quanto às vantagens de se vender para os polos calçadistas de São Paulo”, ressaltou o presidente do Sinbi.
MOMENTO
O anúncio da diminuição tributária vem em um momento de dificuldades, com consumo em baixa, fechamento de fábricas e, consequentemente, redução de postos de trabalho na indústria calçadista.
De acordo com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia, somente em um ano, o setor calçadista fechou 1.692 postos de trabalho com carteira assinada em Birigui. O dado é resultante de 3.467 admissões e 5.159 demissões ocorridas entre outubro do ano passado e o mesmo mês de 2019.
“Com o incentivo, o governo do Estado incentiva um importante setor da economia de São Paulo, que emprega muita mão de obra e pode gerar ainda mais empregos, disse o Palácio dos Bandeirantes, em nota distribuída à imprensa, ao encerramento do evento em Franca.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Participantes do Projeto “Viver Bem” farão trilha na cascalheira 

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS Os participantes do Projeto “Viver Bem” terão a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *