14.2 C
Araçatuba
terça-feira, maio 17, 2022

Deputado Roque Barbiere também tem ligações interceptadas com médico condenado na Operação Raio X

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

 

Único deputado estadual da região de Araçatuba na Assembleia Legislativa, Roque Barbiere, o Roquinho (Avante), era chamado de “chefe” em conversas com o médico Cleudson Garcia Montali interceptadas pela Polícia Civil de São Paulo. Montali foi condenado a mais de 200 anos de prisão por liderar esquema de corrupção, deflagrado pela Operação Raio X, que desviou mais de R$ 500 milhões na saúde em Birigui e Penápolis. 

 

De acordo com informações do jornal “O Estado de S. Paulo”, o parlamentar, que está no seu nono mandato consecutivo na Alesp, teve diversos contatos com Cleudson interceptados pela polícia no ano de 2019. Em alguns, o médico chega a dizer que “sempre falo com o senhor antes” ao se dirigir ao parlamentar biriguiense.

 

A investigação da Polícia Civil é sobre uma possível prestação de favores de Cleudson a Roquinho, que usaria a sua influência no governo estadual para beneficiar o médico. 

 

O primeiro contato interceptado foi no dia 12 de abril de 2019, sobre um exame de tomografia, enquanto no dia 25 há um novo contato sobre o atendimento do filho de Roquinho.

 

No contato de 5 de maio, após telefonema de Roquinho, o deputado afirma para Cleudson que, no caso de um médico, ele deve fazer “o que achar que deve ser feito”. Cleudson disse também na ligação que “Eu respeito as hierarquias, por exemplo, falei ‘pro’ Jair (assessor do deputado), ‘Jair, preciso saber do chefe’.” Barbiere o interrompe na ligação e fala: “Quem cuida disso é você. ‘Cê’ sabe o que é bom, se não servir, já sabe o caminho”. Cleudson, então, conclui: “Mas eu sempre converso com o senhor antes”.  

 

Também foi interceptada uma ligação do assessor Jair Braz Pereira, que trabalha com Roquinho, tentando substituir documento que apontava irregularidade em umas das Organizações Sociais de Saúde do grupo no Tribunal de Contas do Estado, para não atrapalhar a participação da organização em uma licitação na Santa Casa de Birigui. 

 

De acordo com resposta do deputado estadual, Roque Barbiere, “Cleudson pode pegar prisão perpétua que continua sendo meu amigo. Pelas caridades que fez”, disse. Segundo Roquinho, eles se conheceram quando Cleudson era secretário de saúde de Santópolis do Aguapeí. 

 

Carlão Pignatari

 

Na mesma investigação, a polícia também interceptou ligações do presidente da Alesp, Carlão Pignatari (PSDB), com o médico Cleudson Montali. 

 

Em nota da assessoria de imprensa do mandatário da Alesp, foi retificada a informação que Carlão não é investigado pela polícia. Ele ainda diz que “as supostas conversas questionadas pela reportagem são datadas de 2019, antes de qualquer denúncia ou suspeita pública contra o médico Cleudson Garcia Montali”. 

 

Ultimas Noticias