18.3 C
Araçatuba
terça-feira, maio 17, 2022

Cresce movimento nas lojas de artigos escolares

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Além de ser o mês das promoções, muitos estabelecimentos comerciais têm em janeiro praticamente o seu “Natal”. É o caso das papelarias e lojas de materiais escolares, que registram o seu maior volume de vendas neste mês, que é quando os pais recebem a lista da escola com todos os materiais necessários para o ano letivo dos filhos.

Por causa disso, estabelecimentos especializados neste tipo de venda, já começaram a ganhar a concorrência de outras lojas, que tentam aproveitar o momento maior de vendas destes produtos para formar um estoque temporário e abocanhar parte do mercado.

Uma conhecida loja de artigos diversos, localizada no calçadão de Araçatuba, rapidamente desmontou a decoração natalina no começo do mês, e a substituiu por artigos escolares como cadernos, estojos, lápis coloridos e canetas, já buscando a troca de público.

A mesma coisa ocorreu em uma loja de departamentos na rua Duque de Caxias, que colocou em destaque os produtos escolares neste mês de janeiro.

Nas últimas semanas, a reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL vem acompanhando o movimento de pais e filhos para compra do material escolar, e o movimento cresceu nas últimas duas semanas, quando alguns colégios particulares já iniciaram suas aulas, e já próximo da volta às aulas na escola pública.

A mamãe Sandra Abreu Nunes, por exemplo, teve de correr para comprar o material escolar do filho, Pedro, de 5 anos, que voltou às aulas no último dia 18. Ela comentou que comprou os materiais no dia 17, um dia antes.

“Comprei tudo dia 17, quase morri de tão caro”, comentou. “Paguei R$ 350 em tudo, fora apostilas, mochila e uniforme”, concluiu.

O preço dos materiais tiveram aumento significativo neste ano. Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares, os materiais podem ter uma variação de preço de até 381% na somatória de todos eles nos estabelecimentos do estado de São Paulo neste ano.

O Procon SP, a Procuradoria de Proteção e Defesa do Consumidor, faz o alerta para que os pais pesquisem o valor dos materiais em várias lojas, para buscar o menor preço. As recomendações são que pais e responsáveis se unam para comprar mais barato em atacados, reaproveitem itens de anos letivos anteriores, negociem preços e denunciem os abusos.

De acordo com as estimativas da instituição, os itens mais procurados nesta época são caderno, borracha, apontador, caneta esferográfica, régua, lápis, cola, lápis de cor e tesoura. Todos eles sofreram acréscimos entre 15% e 30% em média, segundo estimativas da Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares.

 

Ultimas Noticias