20.3 C
Araçatuba
terça-feira, agosto 9, 2022

Como um simples ruído pode afetar a sua saúde

ARNON GOMES – Araçatuba

Um problema aparentemente simples que pode afetar a saúde, o meio ambiente e a qualidade de vida. Trata-se do ruído. A preocupação dos especialistas em audição é tanta que, há 23 anos, celebra-se em todo o mundo o Dia Internacional da Conscientização Sobre o Ruído em 24 de abril. Formada pela Faculdade de Odontologia da USP (Universidade de São Paulo), campus de Bauru, Tamiris Alves Araujo de Lima destaca, nesta entrevista, como se prevenir desse incômodo. “A poluição sonora ocupa o segundo lugar no ranking como maior causador de doenças”, alerta ela, que atua em Araçatuba e é pós-graduada em audiologia pela FEF (Fundação Educacional de Fernandópolis).

Sobre a data, o que se procura destacar à sociedade no dia da Conscientização do Ruído?
O Dia Internacional da Conscientização Sobre o Ruído (24/04) foi criado nos Estados Unidos no ano de 1996. Já no Brasil, essa conscientização vem sendo realizada desde 2009 com objetivo de sensibilizar, conscientizar e educar a população sobre esse tema, que pode ocasionar problemas na saúde em geral e, principalmente, na saúde da audição. De acordo com a organização mundial de saúde (OMS), a poluição sonora ocupa o segundo lugar no ranking como maior causador de doenças. Seja ele por exposição a músicas altas ou até mesmo por barulho no ambiente de trabalho, o ruído pode trazer danos irreversíveis, já que, muitas vezes, nós ultrapassamos os níveis tolerados para a nossa audição. Cerca de 120 milhões de pessoas no mundo possuem a audição afetada pelo ruído.

Quais seriam as principais implicações na saúde?
Os efeitos do ruído são lentos e progressivos. As pessoas não possuem a consciência da gravidade do problema e, muitas vezes, estão acostumadas a conviver com o barulho, não percebendo quais consequências isso pode trazer à sua saúde, ao meio ambiente e à qualidade de vida. Além das alterações auditiva, o ruído está relacionado com doenças do labirinto (tonturas) e o aparecimento de zumbido. Há estudos ainda que comprovam a relação da exposição a ruídos com alto índice de ansiedade, insônia, hipertensão arterial, irritabilidade, depressão, dificuldade de concentração, gastrites, úlceras. É importante lembrar que esses efeitos não são imediatos, pois dependerão do nível de intensidade do ruído, tempo de exposição e predisposição pessoal.

Como a fonoaudiologia trata essa questão?
A fonoaudiologia busca conscientizar a população sobre importância de cuidar da saúde auditiva a fim de evitar alterações ou, até mesmo, minimizá-las. A perda de audição geralmente é lenta e progressiva e pode se agravar com os costumes e ambientes que estamos inseridos. Assim, algumas medidas podem ser adotadas, como o uso de protetores sempre que exposto a ruídos intensos, evitar ficar próximo a caixa de som em shows e eventos, evitar escutar música alta no carro, fones de ouvido, preferir equipamentos e eletrodomésticos mais silenciosos e fechar as janelas do carro durante trânsito intenso.

A perturbação de sossego pode ser considerada um ruído? Por que?
Sim, pois, além de prejuízos à saúde humana e à qualidade de vida, o excesso de ruídos pode causar conflitos entre as pessoas de uma localidade. Mas a lei diferencia os casos de poluição sonora e os de perturbação do sossego alheio e isso dependerá de cada município.

Que tipo de ações tem sido feitas para conscientizar as pessoas?
Temos observado um crescimento de ações nesse assunto nas grandes cidades. Nas capitais, é realizada uma campanha na qual se propõe 60 segundos de silêncio para que as pessoas possam perceber o tanto que estamos inseridos e vivendo em ambientes barulhentos o tempo todo sem perceber.
Aqui, em Araçatuba, temos procurado disseminar os cuidados com a saúde auditiva através de orientações a população por meio de palestras informativas, participações em eventos, panfletos, entrevistas em rádios, entre outros.
A prevenção e o controle da poluição sonora é uma responsabilidade de toda a população. È importante conscientizar para uma mudança de hábitos para que possamos gerar menos ruídos e assim propiciar melhor qualidade de vida.

Ultimas Noticias