FUNCIONAMENTO - Shoppings vão ficar abertos das 12h às 22h a partir de segunda-feira

Com Araçatuba na fase amarela, comércio segue horário normal e shoppings vão diminuir tempo de funcionamento

Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Com uma média de ocupação de UTIs de 62,9% e de 34,2 internações por cada 100 mil habitantes, a região de Araçatuba, composta pelos municípios da DRS II, a Diretoria Regional de Saúde, permanece na fase amarela do Plano São Paulo, conforme anunciou feito no início da tarde de ontem, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, sem a presença do governador João Dória (PSDB).

Os serviços considerados não essenciais, porém, voltarão a poder funcionar por 10 horas diárias, a partir da próxima segunda-feira (11). Desde o dia 11 de dezembro, a permissão era de funcionamento por até 12 horas, por causa das compras de final de ano.

Na região de Araçatuba, essa medida impacta principalmente os shoppings, que precisam diminuir em duas horas o seu atendimento diário a partir da semana que vem. No caso do comércio de rua, não há mudanças no horário atual.

Com isso, os dois shoppings de Araçatuba – Praça Nova e Araçatuba Shopping – voltarão a abrir suas lojas e quiosques, a partir de segunda, das 12h às 22h. O mesmo vale para os demais shoppings de municípios da região, como o Garden Shopping, em Penápolis; e o Oeste Plaza Shopping, em Andradina.

O comércio de rua em Araçatuba seguirá funcionando de segunda à sexta, das 9h às 18h, e aos sábados das 9h às 14h, o horário já habitual. A capacidade de público dos locais fica restrita a 40%.

Estabelecimentos como bares e restaurantes seguem podendo atender de forma presencial, porém os bares devem encerrar as atividades às 20h, enquanto os restaurantes não podem vender bebidas alcoólicas entre das 20h e 22h.

As medidas anunciadas ontem pelo governo estadual terão duração até o dia 5 de fevereiro, quando haverá a nova classificação do Plano São Paulo.

Alívio

Para o diretor da ACIA, Associação Comercial de Araçatuba, Osney Ferracioli, foi um “alívio” a permanência da região na mesma fase do Plano SP. No início da semana, houve uma reunião de empresários, que teve a participação do vereador Lucas Zanatta (PV), preocupados com a possibilidade de regressão.

“Foi uma decisão acertada e espero que permaneça nesta fase amarela, para que todos possam trabalhar, porque caso o governador colocasse todo o estado no vermelho eu acho que nenhuma empresa, seja ela grande ou pequena, ia aguentar ficar fechada”, afirmou.

O dirigente lembrou, porém, que o comércio da cidade precisa continuar respeitando as questões sanitárias como distanciamento, uso de máscaras e álcool em gel, para se manter funcionando de forma segura.

“Temos que agradecer, trabalhar de forma organizada, e pedir a Deus que possamos mais pra frente ir para a fase verde e a gente continuar tendo uma vida normal, trabalhando”, completou.

90% na amarela

De acordo com os dados do governo estadual, 90% da população do estado mora em regiões onde predominará a fase amarela a partir da próxima segunda-feira.

Apenas as regiões de Marília, Registro e Sorocaba regrediram da amarela para a laranja, enquanto a região de Presidente Prudente subiu da vermelha para a laranja.

Em Marília, Prudente e Sorocaba os índices de ocupação de UTIs ultrapassam os 70%, novo índice de corte do governo para regressão para a fase laranja. Já em Registro, o índice de 9,3 novos óbitos a cada 100 mil habitantes foi o que pesou para a regressão.

A fase laranja, porém, recebeu novas flexibilizações por parte do governo estadual, como o crescimento de 20% para 40% da capacidade de público nos estabelecimentos comerciais, além do aumento de tempo de funcionamento do comércio de 4 para 8 diárias. Nesta fase, porém, fica proibido o atendimento presencial em bares.

As demais 13 regiões do estado, incluindo a de Araçatuba e da Grande São Paulo, ficarão na fase amarela, que permite o funcionamento de todas as atividades comerciais com restrições, além de eventos com público sentado como cinemas e teatros.

Novos critérios

Os novos critérios de avaliação de indicadores de internações, ocupação de leitos e mortes por covid-19 levou o Governo do Estado a endurecer a possibilidade de progressão de qualquer região novamente à fase verde, que permite a maioria das atividades não essenciais com menos restrições de horário e público.

Cada região passa a precisar alcançar 30 internações por 100 mil habitantes e três mortes por cem mil habitantes nos últimos 14 dias, além de passar 28 dias seguidos na fase amarela antes de avançar.

Os critérios de saúde na fase laranja também ficam mais rígidos. O limite máximo da taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 passa de 75% para 70% em cada região.

Também há mudanças nos indicadores de variação para casos, mortes e internações, com parâmetros para todas as fases do Plano São Paulo.

Se a ocupação de UTIs superar 80%, poderá haver recuo para a fase vermelha, com fechamento de atividades.

O Centro de Contingência do Coronavírus permitiu a ampliação de expediente e do rol de estabelecimentos liberados nas fases amarela e laranja, mas recomenda expressamente que a população evite circular à noite, após o fechamento do comércio.

“É importante que neste momento em que há aumento de casos, óbitos e internações, mais do que nunca nós precisamos do apoio da população. A mesma população que nos atendeu ficando em casa enquanto nós reforçamos o sistema de saúde”, declarou o Secretário de Saúde Jean Gorinchteyn. (Com informações do Governo de SP)

ALÍVIO – Comerciantes e consumidores ficaram aliviados com permanência na fase amarela

Compartilhe esta notícia!

Veja também

Hospitais vão suspender cirurgias eletivas com fase vermelha

Compartilhe esta notícia!DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA Como forma de priorizar os atendimentos para pacientes com …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *