14.2 C
Araçatuba
terça-feira, maio 17, 2022

Câmara vota aumento para servidores e membros da cúpula do governo

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

Prevista para ir à votação amanhã, proposta que eleva de R$ 10.388,00 para R$ 11.345,77 os salários de secretários municipais, procurador geral do município e chefe de gabinete do prefeito Dilador Borges (PSDB) chega ao plenário com opiniões divididas na Câmara.

Conforme justificativa do texto encaminhado por Dilador ao Legislativo, a alta representará reajuste de 9,22%, que nada mais é do que a soma da inflação de 2016 e 2017, 6,28% e 2,94%, respectivamente. Nesses dois períodos, alega a administração municipal, os salários de todos os servidores passaram por revisão, excetos os dos agentes políticos. Por isso, amanhã, no mesmo dia em que irá à votação o aumento para a cúpula do govereno tucano, os vereadores também votarão aumento para todo o funcionalismo, mas em um percentual menor.

Para os funcionários da Prefeitura, o reajuste proposto pela Prefeitura é de 5,10%, o correspondente à soma de 2,94% do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) do ano passado mais 2,16% de aumento real. Outra proposta eleva o valor do vale-alimentação dos servidores municipais de R$ 270 para R$ 300.

PRÓS E CONTRAS

Há quase duas semanas, quando a Câmara votou a aprovação de requerimento, questionando o fim dos serviços de mamografia no Hospital da Mulher, agora feitos em clínicas particular e no AME (Ambulatório Médico de Especialidades), o vereador Arlindo Araújo (PPS) havia antecipado a proposta de aumento para o secretariado, já com duras críticas. Na ocasião, ele havia lembrado que, em 2012, ainda no governo Cido Sério (PRB), os secretários receberam aumento de 57%. “Agora, a atual administração quer aumentar em 10%”, criticou o parlamentar, num contraponto às dificuldades alegadas pela atual administração para manter os serviços de saúde.

Ainda naquela sessão, Arlindo foi rebatido pelo líder governista na Casa, o vereador Jaime José da Silva (PTB), para quem um salário maior aos secretários municipais é fundamental a fim de se atrair pessoas com competência para trabalhar pelo município. “Seria uma forma de atrairmos até pessoas de faculdades, com capacitação em gestão pública”, defendeu Jaime. Outro vereador que deverá votar contrário ao reajuste para os secretários é o Lucas Zanatta (PV). Para o representante do Partido Verde, o aumento deveria ser igual para todos.

A proposta encaminhada pelo governo tucano conta ainda com apoio do vereador Denilson Pichitelli (PSL), também presidente do Sisema (Sindicato dos Servidores Municipais de Araçatuba). “É preciso que fique bem claro que os secretários não tiveram reajuste no ano passado, ao contrário dos servidores”, argumenta. “Nós ficamos satisfeitos porque ela vem também acompanhada de aumento real para a categoria. E, na proposta para os secretários, não há aumento real, só recomposição da inflação. Por que, então, não dá o reajuste para eles? Como sindicalista, não posso ir contra aumento para nenhum trabalhador”, defende o representante do PSL.

Ultimas Noticias