Home Cidades Araçatuba Câmara autoriza município a pegar empréstimo de R$ 1,4 milhão do Banco do Brasil

Câmara autoriza município a pegar empréstimo de R$ 1,4 milhão do Banco do Brasil

5 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – PENÁPOLIS

Uma das saídas encontradas pelas prefeituras, ultimamente, para viabilizar a realização de grandes obras públicas, a obtenção de empréstimo bancário, acaba de ser adotada por mais uma administração municipal da região.

A Câmara de Penápolis autorizou, nesta semana, o município a contratar financiamento junto ao Banco do Brasil no valor de R$ 1.430.000,00. O dinheiro será destinado à aquisição de um caminhão especial de manutenção da iluminação em setores de responsabilidade do poder público local e de corte de árvores, instalação de lâmpadas de led e substituição de lâmpadas de mercúrio por vapor de sódio. Segundo o prefeito Célio de Oliveira (sem partido), a principal finalidade é garantir a melhoria da iluminação de praças e parques da cidade.
Ele afirma que, além de mais luminosidade, as trocas planejadas irão assegurar maior economia aos cofres públicos. Receberão o novo modelo de lâmapada as praças Carlos Sampaio Filho, Nove de Julho e da Vila Fátima; duas áreas verdes no bairro Village; e o Parque Maria Chica. O custo estimado para esses serviços é de R$ 250 mil.
Será adquirido ainda um caminhão de cesta áerea de 13 mil toneladas para trabalhos em linhas energizadas destinadas à troca de lâmpadas, manutenção de rede, colocação e retirada de faixas, placas, cartazes e poda de arvores, entre outros serviços similares, no valor aproximado de R$ 330 mil. “Será muito usado na manutenção e troca de luminárias da iluminação ornamental da cidade”, explicou o prefeito, ao falar do veículo pesado.
Com o valor restante do empréstimo – cerca de R$ 850 mil – serão trocados cerca de 850 pontos de vapor de sódio considerados mais fracos por vapor de sódio mais forte e de vapor de mercúrio por vapor de sódio em diferentes ruas e avenidas localizadas na cidade.
Conforme o projeto aprovado pelos vereadores, o valor total do financiamento será pago em 60 meses, sendo seis de carência e 54 meses de amortização. E foi nesse campo que ocorreram os principais questionamentos na Câmara, onde o projeto foi aprovado por oito votos a quatro na última segunda-feira. Segundo apurou a reportagem, uma das alternativas da administração municipal para honrar o compromisso com o banco seria a venda de terrenos. Por isso, um dos vereadores, Roberto Delfino (MDB), repercutiu a possibilidade de os terrenos não terem compradores, o que causa incerteza para o custeio das demandas elencadas.
Procurado pela reportagem, Célio explicou que, pela própria análise do Banco do Brasil, baseada na arrecadação da Prefeitura, foi possível planejas as formas de pagamento. “Por isso, achamos interessante captar essa linha de crédito oferecida pelo banco”, declarou o prefeito.

 


Compartilhe esta notícia!