6.4 C
Araçatuba
quinta-feira, maio 19, 2022

Aumenta 40% a busca do comércio de Araçatuba por sistemas fotovoltaicos

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Comerciantes de Araçatuba estão investindo em energia solar para cortar despesas. A redução de custos é constante no setor na busca pela competitividade no mercado, mas, no que diz respeito aos sistemas fotovoltaicos, isso se intensificou nos últimos dois anos, principalmente em razão da pandemia da covid-19 e do cenário hídrico. “A incerteza ocasionada pelo panorama sanitário somada aos sucessivos aumentos na conta de luz, por causa da crise hídrica, fez com que a procura pelos sistemas fotovoltaicos desse um salto de 40%, de 2019 pra cá, comparado com o período anterior”, explica o CEO de uma empresa de Araçatuba de desenvolvimento e instalação de projetos de energias renováveis, Francis Polo.

Um dos clientes de Polo é o comerciante Carlos Macedo, diretor de uma loja de peças para motos. A empresa existe há 10 anos, e, até dois anos atrás, pagava, em média, R$ 1200 por mês de conta de energia elétrica. Depois da instalação de 56 placas fotovoltaicas, a despesa hoje é de R$ 200, redução e economia de aproximadamente 83%. “A minha avaliação e ótima. Não posso deixar de dizer que, além de economizar, estamos ajudando o planeta com essa energia limpa. O investimento vale muito a pena”, comenta Macedo.

Polo destaca que a conta de energia elétrica sempre representou um dos custos elevados dos estabelecimentos comerciais e para prestadores de serviços. Esse encargo está sendo aliviado devido ao investimento no aproveitamento da energia gerada pela luz solar. “Quando o comerciante faz as contas e nota que a economia é grande, chegando a até 95% da conta mensal de luz, que existem diversas linhas de financiamento, que o sistema se paga em cerca de quatro anos, que o imóvel é valorizado com a benfeitoria e que o meio ambiente é impactado positivamente, fica difícil ele não se render à energia solar”, avalia o executivo.

Melhor ano para investimento

Francis Polo também ressalta que, qualquer pessoa interessada em investir em sistema fotovoltaico deve fazer isso preferencialmente neste ano. Isso porque o projeto de lei 5.829 de 2019, sancionado no início de 2022 na Lei 14.300/22, e que institui o Marco Legal da Microgeração e Minigeração Distribuída, institui que quem garantir a instalação de energia solar até 6 de janeiro de 2023 será isento de encargos até 2045.

“De forma geral, um consumidor costuma pagar pela energia consumida, pelo custo da transmissão e pelos investimentos que uma distribuidora faz para montar a rede de distribuição. Atualmente, quem já faz a própria geração de energia não paga tarifas pelo custo de distribuição. A legislação agora mantém esse benefício por mais 23 anos. Portanto, o melhor momento para investir em energia fotovoltaica é exatamente agora. Dessa forma, a expectativa do setor é de forte crescimento neste ano, haja vista o marco legal e a possibilidade (quase sempre certa) de aumento na conta de energia elétrica”, finaliza o empresário.

Avanço

O Brasil atingiu uma importante marca: ultrapassou os 14 gigawatts (GW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica. Isso significa que a fonte solar superou a potência da usina hidrelétrica de Itaipu. Esses são números levantados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), que levou em consideração todas as usinas de grande porte e os sistemas de geração própria de energia elétrica, como os instalados em telhados, fachadas e pequenos terrenos.

De acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE), a fonte solar é a mais promissora entre as fontes de energias renováveis no mundo, e é prevista como a principal fonte da Europa em 2025 e, mais para frente, do Brasil, podendo chegar a um terço de toda a energia consumida pelos brasileiros em 2050.

 

 

 

Ultimas Noticias