Araçatuba e Birigui desenvolvem ações para combater o bicho barbeiro

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

A Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), de Araçatuba, em conjunto com as prefeituras de Araçatuba e Birigui, iniciou nesta segunda-feira (1º) a retirada do inseto barbeiro (que transmite a doença de Chagas) das palmeiras imperiais  das duas cidades. Em Araçatuba o trabaçlho começopu na Avenida João Arruda Brasil entre as ruas Porangaba e Santa Rosalina. Já em Birigui, o trabalho será desenvolvido nas praças James Mellor, da avenida Governador Pedro de Toledo e da rua 9 de Julho, em frente a Escola Roberto Clark. O trabalho é desenvolvido das 8 às 12 horas.

A reportagem apurpou que o trabnalho será desenvolvido ao longo da Avenida João Arruda Brasil no decorrer desta semana, mobilizando equipes da Sucen e do Cento de Controle de Zoonoses. Em Birigui os trabalhos seguem até o dia 15 de junho. Nas duas cidades os motoristas precisam ficar atentos. com as vias interditadas. Os motoristas que utilizam esses trechos da cidade devem redobrar a atenção no trânsito.

“Fizemos um mutirão para caçar o inseto nas palmeiras destas duas praças, onde existem vários ninhos de pombos, onde o barbeiro se aloja. Após a poda e retirada dos insetos, os agentes aplicam um inseticida contra o barbeiro”, explicou a agente de endemias Rosilene Oliveira Montanholi, da Divisão de Controle de Vetores de Birigui.

O mesmo tipo de trabalho é realizado em Araçatuba. O inseto barbeiro usa ninhos de aves para se alojar. O trabalho consiste na remoção dos ninhos e até mesmo corte de algumas folhagens. Depois de recolhidos pelos profissionais, os insetos são encaminhados para o laboratório da Sucen, onde é feita a análise para saber se o inseto está contaminado ou não.

Segundo o órgão, a análise serve para saber se o inseto está contaminado com o trypanosoma cruzi, que é o agente causador da doença de Chagas.

 

DOENÇA

A doença de Chagas (ou Tripanossomíase americana) é a infecção causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi.

Apresenta uma fase aguda que pode ser sintomática ou não, e uma fase crônica, que pode se manifestar nas formas indeterminada, cardíaca, digestiva ou cardiodigestiva.

A doença de pode apresentar sintomas distintos nas duas fases que se apresenta, que é a aguda e a crônica. A fase aguda, que é a mais leve, a pessoa pode apresentar sinais moderados ou até mesmo não sentir nada.

Na fase aguda, os principais sintomas são:

– febre prolongada (mais de 7 dias);

– dor de cabeça;

– fraqueza intensa;

– inchaço no rosto e pernas.

Na fase crônica, a maioria dos casos não apresenta sintomas, porém algumas pessoas podem apresentar:

– problemas cardíacos, como insuficiência cardíaca;

– problemas digestivos, como megacolon e megaesôfago.

 

Como a doença de chagas é transmitida?

As principais formas de transmissão da doença de chagas são:

– Vetorial: contato com fezes de triatomíneos infectados, após picada/repasto (os triatomíneos são insetos popularmente conhecidos como barbeiro, chupão, procotó ou bicudo).

– Oral: ingestão de alimentos contaminados com parasitos provenientes de triatomíneos infectados.

–  Vertical: ocorre pela passagem de parasitos de mulheres infectadas por T. cruzi para seus bebês durante a gravidez ou o parto.

– Transfusão de sangue ou transplante de órgãos de doadores infectados a receptores sadios.

– Acidental: pelo contato da pele ferida ou de mucosas com material contaminado durante manipulação em laboratório ou na manipulação de caça.

Para combater e eliminar os insetos barbeiros deve-se deixar sempre limpos casas e locais onde possam servir de esconderijo para o barbeiro (atrás de quadros, camas, malas, lenhas, tijolos).

A4 Sucen Bicho Barbeiro (5)

Veja também

Rotary realiza seminário distrital para discutir ações da fundação

ANTÔNIO CRISPIM – Araçatuba No domingo (28), foi realizado em Araçatuba o Seminário Distrital da …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *