Araçatuba cria 189 empregos com carteira assinada

Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

A cidade de Araçatuba foi o principal destaque regional na geração de empregos em novembro. Conforme números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia, divulgados ontem, no mês passado, o maior município da região terminou com saldo de 189 postos de trabalho com carteira assinada. O desempenho é consequência da admissão de 1.681 trabalhadores e demissão de 1.492 no período.
O resultado contrariou a média apresentada pelos 45 municípios da região no penúltimo mês do ano. Em novembro, a região terminou com saldo de 931 empregos formais a menos, resultado da diferença de 5.563 contratações e 6.494 dispensas. O indicador local também representou uma melhora em relação a outubro. Naquele mês, Araçatuba teve saldo de -531 vagas registradas.
Para o economista Marco Aurélio Barbosa, da FAC-FEA (Faculdade da Fundação Educacional Araçatuba), as contratações de fim de ano contribuíram para o bom desempenho. “O setor do comércio alavancou a geração de empregos no mês analisado”, observou o professor, que coordena o Observatório da Economia Regional, na FEA.
Ele ressalta que o setor de serviços favoreceu Araçatuba e Birigui. “Ambas são polos regionais na prestação de serviços”, complementa o estudioso. Conforme o Caged, em novembro, a capital do calçado infantil obteve saldo de 86 postos de trabalho formais – 986 admissões e 900 demissões. Quanto à indústria nas duas maiores cidades da região, eles diz: “Ainda está em processo de recuperação e apresentando resultados negativos”.
Para Barbosa, as medidas implementadas pelo governo federal para estimular a economia podem ter contribuído para o desempenho do setor comercial e de serviços em Araçatuba e Birigui, dentre as quais: liberação de recursos do FGTS, décimo terceiro salário e queda de juros. “Desa forma, indicadores macroeconômicos sinalizam para a retomada do crescimento da economia com reflexos positivos nos setores analisados”, avalia.
Outra cidade que encerrou o último mês positivamente foi Andradina: saldo de 38 vagas criadas, em grande parte, por causa das contratações da indústria de carnes, que tem se beneficiado da crise na China.
SAFRA
Numa análise ampla do cenário regional, Barbosa observa que o fim da safra de cana impactou também a geração de empregos em decorrência de postos de trabalho diretos e indiretos gerados ao longo de toda a cadeia produtiva. Em cidades com força na produção sucroalcooleira, a queda na oferta de trabalho foi bastante sentida. Pereira Barreto e Valparaíso, por exemplo, encerraram 287 e 167 empregos formais, respectivamente.
BRASIL
Os setores de comércio e serviços também contribuíram para o bom resultado do Caged em nível nacional.
Beneficiada por ambas as atividades, a criação de empregos com carteira assinada atingiu, em novembro, o oitavo mês seguido de crescimento. Segundo a pesquisa, 99.232 postos formais de trabalho foram criados no último mês.
Este foi o melhor nível de abertura de postos de trabalho para novembro desde 2010, quando as admissões superaram as dispensas em 138.247. A criação de empregos totaliza 948.344 de janeiro a novembro, 10,5% a mais que no mesmo período do ano passado.
A geração de empregos atingiu o maior nível para os 11 primeiros meses do ano desde 2013, quando tinham sido abertas 1.546.999 vagas no acumulado de 11 meses.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Participantes do Projeto “Viver Bem” farão trilha na cascalheira 

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS Os participantes do Projeto “Viver Bem” terão a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *