Home Cidades Araçatuba Alimentação saudável acumula alta superior a 5% no ano

Alimentação saudável acumula alta superior a 5% no ano

4 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

Consumir alimentos saudáveis não foi tarefa das mais fáceis para o araçatubense no primeiro semestre deste ano. Ao longo de 2019, o preço de frutas, verduras, legumes e grãos já acumula alta superior a 5%. O levantamento é da Educonsultoria, empresa especializada em diagnósticos e prognósticos socioeconômicos, de São Paulo, que tem feito sucessivas pesquisas sobre a variação dos produtos na cidade nos últimos seis meses.
De acordo com o estudo, considerando o acumulado do primeiro semestre, o índice de preços de alimentos no varejo de Araçatuba teve um reajuste de 5,73%. Os chamados alimentos “in natura” apresentaram aumento de 5,26%, enquanto os processados (como produtos de prateleira, carnes e panificados), 6,20%.
Conforme o pesquisador Danton Leonel Bini, do IEA (Instituto de Economia Agrícola) do Estado de São Paulo e da equipe da Educonsultoria, para alta dos hortifrutis, pesaram as intempéries climáticas – no verão, as chuvas, e no inverno, as geadas. Já em relação aos processados, as subidas no valor da carne pesaram no índice.
Apesar do resultado desfavorável ao consumidor, Danton traça uma perspectiva otimista para os próximos meses. “Talvez, com a redução dos juros, a economia aqueça um pouco e os preços caiam”, afirma.
BALANÇO MENSAL

A pesquisa também trouxe números referentes ao mês passado. Em julho, os alimentos no varejo subiram 0,31% na comparação com o mês anterior. Separado por grupo de produtos, os alimentos “in natura” tiveram reajuste de 3,52%, enquanto o preço dos alimentos processados caiu 0,34%.
Com base em uma cesta de 70 alimentos naturais e 58 processados, o órgão pesquisador levantou os valores dessa lista nos últimos finais de semana de cada mês em dois supermercados varejistas de Araçatuba.
Entre os produtos “in natura” que apresentaram as maiores altas em julho, na comparação com junho, foram: mamão (30,39%), cebola (16,81), limão (14,71%), melancia (8,59%) e o alho (6,09%). Por outro lado, alguns itens, de consumo considerado mais popular, registraram queda. Foram os casos da laranja (-1,18%), batata (-1,43%), alfaces (-2,22%) e o tomate de mesa (-11,77%).
No que se refere aos produtos processados, também dentro do comparativo feito nos dois últimos meses, as baixas mais significativas foram do feijão (-11,85%), filé de frango (-4,95%) e do peito de frango (-3,19%). A maior contribuição, nesse segmento, em julho, veio dos preços do açúcar (+2,18%), bolacha de água e sal (+1,60%) e do arroz (+1,25%).

 


Compartilhe esta notícia!