14.4 C
Araçatuba
quarta-feira, maio 18, 2022

Aeroporto de Araçatuba entra em fase de transição para iniciativa privada; empresa assume em março

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA E REGIÃO

O Consórcio Aeroportos Paulista vai assumir o comando das operações do Aeroporto Dario Guarita, em Araçatuba, no máximo, até o início de março. A informação foi dada pelo vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), durante visita a São José do Rio Preto na última sexta-feira (5).
Durante agenda na cidade do noroeste paulista, o vice-governador e pré-candidato ao governo do estado, assinou a transferências oficial do chamado Bloco Noroeste de aeroportos para o Consórcio, que foi vencedor da licitação.
“Assinando a transferência oficial do aeroporto de São José do Rio Preto, junto com mais 10 aeroportos do bloco Noroeste, para a iniciativa privada. O leilão foi realizado o ano passado na Bolsa de Valores. E a partir de agora, a empresa privada tem 30 dias para assumir a operação desses aeroportos e fazer grandes investimentos nestes aeroportos”, afirmou Garcia.
O Bloco Noroeste é composto pelos aeroportos de Araçatuba, São José do Rio Preto, Presidente Prudente e Barretos, além dos aeródromos de Penápolis, Andradina, Votuporanga, Dracena, Assis, Presidente Epitácio e Tupã. A oferta feita pela concessão foi de R$ 7,6 milhões, com um ágio de 11,14% sobre a outorga mínima.
A previsão é que nos primeiros quatro anos de concessão sejam feitos investimentos de R$ 62,3 milhões e ao longo de todo o contrato, investimentos de R$ 181,2 milhões. O dinheiro deve ser usado para melhoras as operações, ampliar a capacidade, e aumentar a demanda aérea.
Para o vice-governador Rodrigo Garcia, os 30 dias de prazo são necessário para que a haja a transição da operação pelo governo do estado para o Consórcio.
“Ela está assumindo um grande bloco de aeroportos como Araçatuba, Votuporanga, Presidente Prudente, Bauru, e ela tem esses 30 dias de transição para que possa fazer a assunção da posse desses sítios aeroportuários e a partir daí fazer um plano de investimentos que já foi aplicado durante a licitação, eu não tenho dúvidas que nós vamos ter daqui a duas semanas, a percepção clara de que o aeroporto entregue à iniciativa privada é um aeroporto mais bem cuidado do que o do poder público”, completou.
De acordo com Garcia, funcionários do DAESP serão realocados para a agência reguladora. O órgão deixará de existir, já que os aeroportos serão administrados pela iniciativa privada.
“O DAESP, a partir de agora, deixa de existir como departamento, e parte dos funcionários serão transferidos para a Agência Reguladora de Transportes, para que a gente faça a regulação e a fiscalização deste contrato, mas o importante, é que São Paulo deixa de ter um departamento de aeroportos, passa apenas a regular as concessões que nós realizados”, completou.
“Concluímos mais um grande projeto do Governo de São Paulo. O capital privado ampliará a capacidade dos 22 aeroportos, aumentando a oferta de voos e incrementando a demanda pelo turismo – demandas extremamente importantes para a economia de São Paulo e do País”, explica o secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto.

Economia
O vice-governador destacou em discurso que o estado vai economizar R$ 80 milhões com os aeroportos, que agora serão administrados pela iniciativa privada. Com isso, os valores serão investidos em outras áreas prioritárias para a população.
“Fazemos concessão pensando na sociedade, para que ela seja mais bem atendida no serviço público, e pensando em otimizar o recurso público para que ele seja investido em outro lugar. São Paulo gastava, até o ano passado, mais de R$ 80 milhões na manutenção dos aeroportos, e a partir desse ano, vai gastar zero. Esses R$ 80 milhões vão ser investidos naquilo que é importante para as pessoas e que é indelegável para o poder público, que é a saúde, a educação e a segurança pública”, destacou Rodrigo Garcia.

INVESTIMENTO
O Consórcio Aeroportos Paulista (ASP) que está assumindo a concessão do Bloco Noroeste de aeroportos do interior, que engloba 11 unidades, deve fazer os seguintes investimentos.
São José do Rio Preto (receberá investimentos de R$ 42,7 milhões);
Presidente Prudente (investimentos de R$ 56,5 milhões);
Araçatuba (investimentos de R$ 24,4 milhões);
Barretos (investimentos de R$ 13,7 milhões);
Assis (investimentos de R$ 6,9 milhões);
Dracena (investimentos de R$ 7,2 milhões);
Votuporanga (investimentos de R$ 7,1 milhões);
Penápolis (investimentos de R$ 7 milhões);
Tupã (investimentos de R$ 5,6 milhões);
Andradina (investimentos de R$ 5,1 milhões);
Presidente Epitácio (investimentos de R$ 4,4 milhões)

 

Ultimas Noticias