Home Cidades Araçatuba A pecuária de luto: morre em Araçatuba Alfredo Ferreira Neves Filho

A pecuária de luto: morre em Araçatuba Alfredo Ferreira Neves Filho

9 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

A pecuária brasileira está de luto. Faleceu nesta terça-feira, em Araçatuba, aos 88 anos de idade, o líder ruralista Alfredo Ferreira Neves Filho, o conhecido Alfredinho. Ele estava internado desde o dia 6 de agosto devido a complicações hepáticas. Na tarde desta terça-feira, não resistiu e morreu. O corpo está sendo velado na Cardassi, da avenida Saudade e o enterro está marcado para as 11h, desta quarta-feira, no Cemitério da Saudade.
Líder rural, presidente do Sindicato Rural da Alta Noroeste Siran e membro de várias entidades representativas do setor, Alfredinho, de estrutura franzina, impunha-se pelo gigantismo de sua liderança e do respeito que despertava. Fazia-se ouvir, sem elevar o tom de voz. Até mesmo ministro e secretário paravam para ouvir aquele senhor de olhar tranquilo, mas que expressava segurança no que afirmava. Não era por acaso que o ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, um dos principais nomes do agronegócio brasileiro, o chamava de “meu amigo”.
Com a morte de Alfredinho, Araçatuba, São Paulo e o Brasil perdem um autêntico ruralista, que fez do campo mais do que uma atividade econômica, mas um método de vida, fazendo questão de levar a família para esta atividade, como o neto, que o acompanhava nos últimos anos para sorver a sua sabedoria e conhecimento.

TRAJETÓRIA
Nascido em Monte Azul Paulista, município próximo à cidade de Barretos, Alfredo Ferreira Neves Filho chegou em Araçatuba em 1942. Alguns anos depois, deixou a cidade para completar seus estudos. Formou-se em Técnico Agrícola e retornou à cidade, em 1951, quando iniciou seus próprios negócios, sempre no ramo da agropecuária.
No final da década de 1970, Alfredinho integrava a comissão organizadora da Expô e acompanhou o fortalecimento da exposição. Depois, como vice-presidente e presidente do Siran, esteve diretamente envolvido na organização da festa, contribuindo para o seu crescimento.
Alfredinho também, foi desportista. Há informações de que foi um bom jogador de futebol. O seu time do coração foi o Palmeiras.
MERCADO
Alfredinho acompanhava com apreensão a evolução do mercado pecuário. Era um estudioso, procurando antecipar o que poderia ocorrer no mercado em relação aos preços. Não se deixa surpreender e sempre orientava quem procurava suas informações. Por isso, durante muito tempo foi presidente da Câmara Setorial da Pecuária de Corte da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

VISÃO DE MERCADO
Como presidente da Câmara Setorial da Pecuária de Corte sempre defendeu estímulos para fomentar a pecuária leiteira, que segundo afirmava, sempre vivia de crise em crise.
Quanto ao mercado da cana, Alfredinho também demonstrava preocupação com a insegurança do setor, que resultou em problemas financeiros de várias usinas.

ATIVIDADE
Mesmo com idade avançada, Alfredinho mantinha rotina de trabalho, levantando cedo e visitando as fazendas. Nos últimos anos sempre teve a companhia do neto, Thomaz. Mesma já apresentando alguma debilidade física, devido à idade, mantinha lógica de raciocínio e precisão nas informações.

Alfredinho.jpg

REPERCUSSÃO
O ex-presidente (2014 – 2017) e atual diretor Siran, Marco Antônio Viol, também se sensibilizou com o falecimento de Alfredinho. “Ele foi um exemplo. Arrojado, diversificou criação e cultivo, criou búfalo e boi, plantou soja e cana, e ainda participou ativamente de decisões setoriais. O Alfredinho deixa um legado de determinação de quem trabalhou e contribuiu para o desenvolvimento da agropecuária na região, no Estado e no Brasil”, afirmou Viol.
O diretor do Siran, Arnaldo Vieira dos Santos Filho, fez questão de elogiar Alfredinho. “Ele representou uma geração admirável de pecuaristas que impõem respeito a produtores rurais, representantes classistas e políticos, de forma geral. Penso que o Siran nunca vai se desvencilhar da figura dele, que sempre atuou de forma intensa pelos interesses da agropecuária. Só temos a agradecer pela projeção que ele nos deu, tanto ao Siran quanto a Araçatuba e região”
O prefeito de Araçatuba, Dilador Borges, se manifestou. “Toda a história de Alfredinho, ex- presidente do Siran, deve ser um motivo de orgulho para quem mora em Araçatuba e ama essa cidade. Todos nós devemos muito ao trabalho digno e honesto deste homem, que foi praticamente o patrono do agronegócio da Alta Noroeste, que rendeu frutos de grandeza imensurável e consolidou a imagem de nossa região como potência do interior. Junto a sua família e amigos lamentamos sua partida, mas garantimos que sua presença será eterna em nossas lembranças, como amigo, como homem, modelo de responsabilidade e respeitabilidade em todos os sentidos”.
A vice-prefeita Edna Flor também deixou a sua mensagem. “Adeus e gratidão! Nossos sentimentos aos familiares do Sr. Alfredinho. A ele, nosso Adeus e nossa Gratidão por ter marcado a história da nossa cidade com grandiosos gestos revestidos de humildade! Vá em paz, na certeza de que sua memória ficará em nossos corações!”

Alfredinho1.jpg


Compartilhe esta notícia!