15.4 C
Araçatuba
quarta-feira, maio 25, 2022

NATAL SEMPRE  ME  ENTRISTECE.

 

RUBENS  BIZARRO  ROMARIZ.

 rb.romariz@gmail.com

 

      “Há pensamentos que são verdadeiras orações. Em dado momento, seja qual for a postura do corpo, a alma está de joelhos.” ( Vitor Hugo )

 

 

É noite de Natal. As noites de Natal são sempre diferentes, são ímpares e particulares. A gente se despe da roupagem da fantasia do teatro da vida, liberta as angústias e se deixa silenciosamente conversar com a alma.

 

O dia de Natal é um momento em que o homem lê seu livro da vida, deixa-se arrastar passivamente pela corrente de pensamentos, faz da memória um teatro de imagens. É como se uma faísca de paixão ativasse-lhe todos os desejos ocultos n’alma. É o momento como se o homem parasse a página de seu livro com seu dedo indicador e se envolvesse na imaginação, nos vultos, nas vozes, nos rostos, na infância, em Papai Noel, num determinado brinquedo, na lembrança de seu pai, sua mãe, seu irmão, seu cão, meus sonhos…

 

Penso, no passado das lembranças, nas saudades sem mágoa do ano que está falecendo, como tantos outros que ficaram. Bebo nas imagens que guardo das pessoas que fizeram minha vida, pessoas cujas vozes ainda as ouço e que me trazem uma grande ternura. “Feliz Natal e muitas felicidades.” Renovo o copo com mais vinho, e me deixo ficar sozinho num recanto do jardim que dorme a madrugada desse Natal.

As músicas natalinas, vão aos poucos me envolvendo e eu nem percebo que minha alegria está de mãos dadas com minha tristeza. A nossa vida sempre será um mistério particular, colhemos da vida o que ela nos deu: rosas e espinhos, chuva e sol, pérolas e cascalhos, frutos doces e amargos, dias de luz e noites de tormentos. Deu-nos o que poderíamos alcançar…

 

As horas carregam a noite vagarosamente, copos brindam saúde, brindam paz, brindam amor, brindam esperança e o homem silenciosamente carrega seu copo de vinho tinto e deixa-se estirar em um balanço, lembra e recorda, sorri e quase chora envolto nas tranças das saudades.

Mais tarde, o homem já não mais consegue saber se ainda está acordado ou sonhando. A noite de Natal é o momento em que Cristo nasce, é o silencio em que fazemos nossas introspecções, é enfim o instante que os pensamentos são verdadeiras orações, é o momento em que a alma está de joelhos conversando com Deus.

Feliz Natal a todos os homens que renascem sempre, com o nascimento de Cristo é o desejo desse escrevinhador.

Rubens Bizarro Romariz é professor, escritor e cronista.

 

Ultimas Noticias