PESQUISA - O instituto mantém laboratório que presta serviços para análise da qualidade do ovo

IZ comemora o dia da avicultura com importantes pesquisas na área

Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – SÃO PAULO

Para atender com eficiência às demandas do setor produtivo e às necessidades dos produtores do estado de São Paulo, e os requisitos do consumidor, o Instituto de Zootecnia (IZ / Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, comemora o Dia da Avicultura com tecnologias desenvolvidas para a produção de carne e ovos a fim de fortalecer o setor avícola, com boas práticas de manejo, nutrição, sanidade e bem-estar. O IZ homenageia esta atividade, que é uma das mais importantes no Brasil, sendo o maior exportador de carne de frango do mundo e abastecendo com a fonte de proteína animal mais acessível à população – o ovo.

A equipe do IZ atua no desenvolvimento de pesquisas em diferentes sistemas de produção avícola; animal bem-estar; qualidade de ovos; biotecnologia; indicadores de saúde intestinal e avaliação de métodos substitutivos ao uso de antimicrobianos; contribuindo para os avanços tecnológicos da Avicultura, o desenvolvimento econômico do país e a alimentação da população.

O pesquisador do IZ, José Evandro de Moraes, doutor em Epidemiologia, destaca que os trabalhos visam o aumento da produtividade, “unificando bem-estar animal, qualidade e saudabilidade dos produtos avícolas”.

A Avicultura é uma das atividades com maior destaque no setor agropecuário do país. “Assim, as pesquisas em avicultura de postura buscam promover mudanças nas práticas de manejo de alojamento, melhorar o bem-estar das poedeiras e seus desempenhos produtivos e econômicos, promover a qualidade dos ovos, nas diferentes linhas comerciais comerciais, com expectativa de que os resultados forneçam assessoria segura e relevante aos produtores ”, ressalta Evandro.

A avicultura também é de importância relevante na produção familiar, onde comunidades rurais podem melhorar o acesso a proteínas de elevado valor nutricional. “O pequeno produtor pode criar as aves de forma mais eficiente, já que, por exemplo, os custos com alimentação das aves totalizam até 70% dos gastos da produção e qualquer melhoria trará um impacto positivo à atividade do criador, além de reduzir a contaminação e com diminuição das boas práticas de manejo, possibilitando também a elevação da renda e dignidade da população que costuma ser economicamente vulnerável ”, acrescenta a pesquisadora do IZ Carla Cachoni Pizzolante, doutora em Zootecnia [Nutrição Animal de Monogástricos]. 

O Laboratório Avançado de Aves e Ovos do Instituto de Zootecnia (LAAVIZ) oferece serviços para análise da qualidade de ovos comerciais [férteis e inférteis] com auxílio do equipamento DET6000-EGGTESTER. Também pesquisas com diferentes sistemas de produção de aves poedeiras – galinhas ou codornas; indicadores de bem-estar animal; saúde intestinal [vilosidades e microbioma]; dietas; e substitutivos a antimicrobianos. Colaborando com diferentes grupos de pesquisa e indústria no desenvolvimento de soluções tecnológicas. 

 

Origem

A primeira referência da chegada da avicultura no Brasil remete-se ao descobrimento realizado pelos portugueses. Em 1502, a história retrata que o navegador Gonçalo Coelho já trazia para o país as matrizes de aves. A comercialização se deu a partir de 1860 e a criação era no sistema “caipira”, com as aves soltas e levava cerca de seis meses para o abate, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA)

 

Produção

A cadeia produtiva de frangos de corte e ovos envolve diversas áreas do agronegócio paulista e nacional, como produtores de grãos, fábricas de rações, transportadoras, frigoríficos, entrepostos de ovos, segmento de equipamentos, medicamentos, embalagens e varejo.

Com o custo mais acessível, possibilita o consumo pelas diferentes classes sociais do país. Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), 96% dos lares brasileiros consomem ovos e metade da população consomem ovos quase todos os dias e 80% da população consomem carne de frango, no mínimo de duas vezes por semana.

Dados do IBGE, no 2º trimestre de 2021, revelam que foram abatidas 1,52 bilhões de cabeças de frango e foram obtidos 977 milhões de dúzias de ovos de galinha. Ambos com acréscimo de 7,4% e 0,1%, respectivamente, ao comparar com o mesmo período de 2020. Além disso, o Brasil é o maior exportador de carne de frango no mundo.

Por isso, o contínuo crescimento e avanços tecnológicos na avicultura garantirão alimento de boa qualidade, baixo custo, além da geração de empregos diretos e indiretos, incentivando a economia nacional.

 

 

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Diretoria inicia ações da ‘semana Nacional de Trânsito’

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS É celebrado este ano entre os dias 18 …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *