Presos por sequestro em suposto tribunal do crime são transferidos para cadeia

Compartilhe esta notícia!

FOTO CEDIDA: REGIONAL PRESS

Foram transferidos na manhã dessa quarta-feira (25) para uma unidade prisional da região de Araçatuba o ajudante de 24 anos e um funileiro, de 50, suspeitos de sequestrar um casal para levá-lo ao tribunal do crime de uma facção criminosa. As vítimas foram resgatadas pela Polícia Militar às margens da rodovia Marechal Rondon (SP-300), no fim da tarde de terça-feira (24).

Segundo informações apuradas pela reportagem, outros dois homens também são suspeitos de participação nos crimes, mas até o fechamento dessa edição não tinham sido localizados. As primeiras informações recebidas pelo Copom (Central de Operações da Polícia Militar) davam conta que havia uma briga generalizada entre várias pessoas por conta de drogas. Em outro chamado, as equipes tomaram conhecimento de que uma das vítimas teria sido agredida e colocada dentro de um veículo branco com uma corda no pescoço.

As viaturas passaram a fazer diligências em vários pontos da cidade até que conseguiram encontrar o veículo dos criminosos parado na rua Anhanguera, margens da rodovia Marechal Rondon. Um homem de 35 anos estava no interior do carro, bastante machucado, e pedia por ajuda, já que seria um opositor da facção criminosa e seria levado para o tribunal do crime, onde seria executado.

Em outro carro estava a companheira do rapaz, uma travesti de 29 anos. Ela também seria levada para o tribunal do crime, mas ao perceber a ação policial conseguiu pular do automóvel em movimento e fugir dos autores. Nos depoimentos, o casal contou que a todo o instante os suspeitos diziam que iriam assassiná-los com requintes de crueldade e os enterrariam vivos.

O casal recebeu atendimento médico e uma das vítimas permaneceu internada em observação por conta dos ferimentos sofridos. O caso foi apresentado na Central de Flagrantes, onde o delegado plantonista decidiu manter a prisão em flagrante dos dois autores por tentativa de homicídio qualificado, associação criminosa, sequestro e cárcere privado. Um deles é apontado pela Polícia Civil como disciplina do bairro Águas Claras e chefe do tráfico local. Um inquérito foi aberto para dar prosseguimento às investigações.

 

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Justiça condena trio a mais de 66 anos de prisão por morte de detento

Compartilhe esta notícia!A Justiça de Mirandópolis condenou a mais de 66 anos de prisão os …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *