Home Plantão Policial Mulher é assassinada por ‘engano’ por dupla em moto na região

Mulher é assassinada por ‘engano’ por dupla em moto na região

8 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

Uma pessoa bondosa, trabalhadora e de bem com a vida. Assim era Maria Pereira da Silva dos Santos, de 58 anos de idade. Ela foi assassinada, cruelmente, com um tiro no pescoço durante a noite de quinta-feira (1), dentro da própria residência por dois indivíduos desconhecidos em uma motocicleta. Acontece que o verdadeiro alvo da ação criminosa era o filho da vítima, de 25 anos. Os autores fugiram e até agora não foram localizados. A ação  aconteceu na pequena Coroados, cidade com quase seis mil habitantes, na região de Araçatuba.

 

Era por volta das 21h26 quando tudo aconteceu. A casa da família fica na rua Joel Rodrigues de Souza. Maria estava sentada nos fundos do corredor e fumava um cigarro. O filho dela estava em outro cômodo. De repente, os dois suspeitos chegaram em uma moto de cor escura.

 

Um deles estava armado e já foi disparando diversos tiros. Eles tentaram arrombar o portão e danificaram uma das grades. O filho da mulher conseguiu correr a tempo, mas chegou a ser atingindo de raspão por um tiro no pé. Mas a mãe dele não teve a mesma sorte. Ela foi atingida no pescoço. Pelo menos oito disparos foram disparados. Na sequência, a dupla fugiu em alta velocidade e não foi vista por mais ninguém.

 

Mesmo ferida, Maria conseguiu pedir ajuda. Policiais militares foram acionados e chegaram até a residência em poucos minutos. Enquanto isso, uma ambulância do município e uma unidade do Resgate já tinham sido acionadas para prestar socorro.

 

Os primeiros PMs que chegaram até o endereço encontraram a vítima caída na área dos fundos, mas ainda estava consciente. Ela conversava normalmente e contou que estava sentada quando viu os dois criminosos na moto. Eles já chegaram atirando e em determinado momento percebeu que tinha sido alvejada. A mulher contou também que o filho já vinha sendo ameaçado de morte, mas não sabia por quem.

 

As viaturas de socorro chegaram e prestaram os primeiros atendimentos. Maria foi socorrida e deu entrada no Pronto-Socorro Municipal de Birigui por volta das 22h15. Cerca de quinze minutos depois, ela não resistiu aos ferimentos e morreu.

 

Todo o local foi isolado para o trabalho da perícia técnica. Os peritos conseguiram apreender algumas cápsulas que ficaram jogadas na rua e farão parte do inquérito policial que investiga o assassinato. Um laudo deverá ficar pronto em até 30 dias.

 

HISTÓRICO DE CRIMES

 

A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL apurou que o filho da vítima, que na realidade seria o verdadeiro alvo dos criminosos, já teve envolvimento com drogas e é conhecido nos meios policiais por roubos.

 

Logo após toda a confusão, ele não quis informar aos policiais militares que foram acionados para o atendimento da ocorrência quem eram os dois atiradores. Na manhã de hoje(2), ele compareceu até a delegacia de Coroados e prestou depoimento ao delegado responsável pelas investigações. O rapaz chegou acompanhado de outras duas pessoas e mancava.

 

A Polícia Civil diz que já tem pistas dos autores do homicídio e eles não seriam da cidade e, sim, da região. Apesar disso, até o fechamento dessa edição ninguém havia sido preso.

 

O corpo da vítima passou por exame necroscópico no IML (Instituto Médico Legal) de Araçatuba e depois foi liberado para o velório. O sepultamento ocorreu por volta das 17h, também no cemitério de Coroados.

 

ÍNDICES CRIMINAIS

 

O assassinato de Maria chocou toda a população da cidade. O assunto não era outro na cidade. Coroados é conhecida na região pelo baixo índice de criminalidade. Nesse ano foi o segundo homicídio e no ano passado, o município não registrou nenhum.

 

Uma testemunha, que não quis ser identificada e conhecia a vítima, lamentou a morte da colega e ainda não acredita em tanta violência. “Eu só ouvi os barulhos dos tiros e quando saí viu o tumulto e fiquei sabendo o que tinha acontecido. É muito triste para toda a população de Coroados. A dona Maria era uma pessoa excelente, trabalhadora, batalhadora e fazia tudo pelos filhos dela. Foi muito minha amiga, companheira, era uma sofredora”, contou emocionada à reportagem durante entrevista.

 


Compartilhe esta notícia!