24.1 C
Araçatuba
quarta-feira, agosto 17, 2022

Força Tática apreende quase três toneladas de maconha dentro de caminhão

Policiais militares da Força Tática fizeram a maior apreensão de drogas já realizada na história da corporação em Araçatuba na noite deste domingo (10). Foram quase três toneladas de maconha encontradas em um compartimento falso dentro de um caminhão que carregava tanquinhos de lavar roupas de uma fabricante que faz distribuição nacional. O veículo pertencia a uma empresa terceirizada de transporte. Além do motorista, o caseiro de uma chácara, que funciona como oficina, também foi preso em flagrante por tráfico de drogas.

 

A ocorrência teve início pouco antes das 17h na via João Cazerta, que liga Araçatuba à zona rural. De acordo com informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, os policiais faziam patrulhamento de rotina pelo local quando se depararam com o caminhão. De acordo com o capitão da Força Tática, Renê Rodrigues Antônio, a desconfiança chegou quando o motorista deu zigue-zague com o veículo.

 

“Na primeira vez, quando ele viu a viatura, ele fez a manobra, que chamou a nossa atenção. Fizemos o retorno e percebemos que ele tentava entrar rapidamente na chácara, que funciona uma oficina. Decidimos fazer a abordagem e percebemos que ele estava bastante apavorado, com muita pressa”, contou à reportagem.

 

Os PMs perguntaram ao motorista Leandro da Silva Pires, de 34 anos, o que ele carregava. O homem apresentou notas fiscais dos tanquinhos levados no baú. Ele disse que pegou a carga em Paranhos, Mato Grosso do Sul e a levaria até Araçatuba.

 

“Contudo, os policiais, ao abrirem a carroceria, sentiram o forte odor de maconha. Foi, então, que descobrimos o compartimento falso que estava verticalmente instalado logo após a cabine com grande quantidade de droga”, complementou o capitão.

 

A partir daquele momento, o condutor acabou confessando que, além dos tanquinhos e de alguns armários, também carregava mais de duas toneladas de maconha. Diante dessa situação, o local foi isolado e mais reforço foi chamado.

 

Equipes da perícia técnica estiveram presentes no local. Além do motorista, o caseiro que estava abrindo o portão da oficina, identificado como Valdir Moreira Nizio, de 38 anos, também foi preso em flagrante, já que existe a suspeita de que os compartimentos falsos eram feitos ali.

 

DELEGACIA

 

Os dois suspeitos, assim como o caminhão, foram levados sob forte esquema de segurança até o prédio da Central de Polícia Judiciária. Uma das ruas que dá acesso à Central de Flagrantes teve que ser interditada para facilitar o trabalho de descarregamento dos entorpecentes.

 

As equipes acharam melhor e mais seguro colocarem o caminhão no estacionamento da delegacia. Lá, três policiais subiram no baú e começaram a descarregar as centenas de tabletes com maconha.

 

Durante o trabalho, uma surpresa. Também havia em meio à carga duas caixas contendo cem cartuchos de calibre 380 e outra caixa com mais 50 cartuchos de calibre 38, ou seja, a dupla, além de responder por tráfico, também foi enquadrada no porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.

 

Dezenas de policiais militares se revezaram para fazer a retirada dos tabletes de maconha. Até mesmo uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada para cortar a lataria da carroceria e facilitar a retirada. O trabalho levou mais de uma hora, até que todo o compartimento falso fosse esvaziado. No fim, o peso total da droga foi de 2.660 quilos, a maior apreensão já feita na cidade pela Força Tática.

 

DEPOIMENTO

 

Segundo informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, Leandro disse em depoimento que desconhecia que carregava a carga de maconha. Segundo fontes ouvidas, o rapaz disse que estava perto da fronteira do Paraguai quando um homem de origem paraguaia o abordou e ofereceu R$ 20 mil para que fizesse o transporte, sob a condição de deixar o caminhão no poder dos bandidos e ficar no hotel aguardando o carregamento. O motorista não imaginava que seria droga e sim uma carga de cigarros.

 

Mas, para a polícia, a história não convenceu, já que um segundo caminhão foi apreendido na mesma oficina durante a madrugada com o mesmo compartimento falso existente no primeiro veículo. Existe a suspeita de que os autores sabiam do esquema criminoso e que o transporte de entorpecentes acontecia há mais tempo.

 

Tanto Leandro quando Valdir permaneceram presos em flagrante pelo artigo 33 da Lei 11.343/2006, de tráfico de drogas e podem pegar, caso sejam condenados, de cinco a 15 anos de prisão. Eles também irão responder por porte ilegal de arma de fogo. A dupla passou por audiência de custódia na manhã desta segunda-feira (11) no Fórum do município.

 

O juiz de direito Vinícis Nocetti Caparelli converteu a prisão em preventiva. Os dois homens foram transferidos para o Centro de Detenção Provisória de Nova Independência, onde deverão aguardar o julgamento.

 

NOVA VISTORIA

 

Ainda na manhã de hoje, policiais militares do Canil e da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas) fizeram novas vistorias nos caminhões apreendidos. Com a ajuda do cão ‘Aragon’, os PMs vasculharam todas as caixas e até o fechamento desta edição não tinham encontrado mais nenhum objeto de ilícito. As cargas pertencentes à fabricante foram liberadas e transportadas para outro caminhão da empresa.

 

A partir de agora, a Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) vai abrir inquérito para dar andamento às investigações sobre o caso e apurar quem seria o fornecedor de toda a droga encontrada.

Ultimas Noticias