Home Plantão Policial Após ser preso e liberado, funcionário da Hyundai é afastado da empresa

Após ser preso e liberado, funcionário da Hyundai é afastado da empresa

6 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

A Polícia Civil de Araçatuba apura se o chefe de oficina da concessionária Hyundai, que foi destruída por um incêndio no último sábado (13), teria participação no crime. Ele foi preso na noite de segunda-feira (15) depois que policiais da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) encontraram munições de uso restrito no imóvel que ele mora, localizado no bairro Nova Iorque.

 

Segundo informações do boletim de ocorrência, os investigadores suspeitavam do rapaz e, por isso, solicitaram um mandado de busca e apreensão na casa dele, estilo república. A Justiça autorizou o procedimento e o cumprimento se deu no fim da tarde. O funcionário trabalhava na concessionária quando foi localizado pelos policiais. Ele tomou conhecimento a respeito do mandado e acompanhou a equipe até sua casa.

 

Chegando lá, a polícia encontrou munições de fuzil 762, além de calibre 38. O investigado alegou que os objetos lhe pertenciam desde a época que fazia Tiro de Guerra e negou que tivesse arma de fogo. Ainda durante as buscas, a DIG localizou uma porção de maconha. O homem confessou ser usuário de maconha.

 

Já em um cômodo do imóvel foram encontradas diversas peças de veículos da Hyundai, como faróis, rádios originais, bateria e painel de velocímetro. Sobre isso, o chefe de oficina informou que os objetos tinham defeitos e eram descartados pela empresa.

 

Com essas informações, ele foi levado até a delegacia, onde prestou depoimento. Sobre o incêndio, o suspeito negou qualquer tipo de participação. Ele permaneceu preso pelo crime de posse ilegal de munição, já que não existia nenhuma evidência que o incriminasse a respeito do outro inquérito que investiga o caso da concessionária.

 

Na manhã de terça-feira (16), ele passou por audiência de custódia e foi posto em liberdade. Agora, a polícia continua investigando o caso e trabalha em outras linhas. A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL apurou que existe uma imagem de uma câmera de segurança da própria concessionária que flagrou um indivíduo desconhecido, usando capuz, invadindo o local. O objeto não foi queimado pelo incêndio. A polícia já está com as imagens.

 

AFASTAMENTO

 

A Caoa informou, por meio de uma nota, que o funcionário foi afastado preventivamente de suas funções por conta das peças localizadas em sua residência. Apesar de serem para descarte, os objetos não poderiam estar em poder do rapaz, segundo a empresa. Ainda de acordo com a nota, o serviço de pós-venda já funciona normalmente aos clientes da marca.

 

INCÊNDIO

 

O fogo começou na madrugada de sábado (13). O Corpo de Bombeiros recebeu o primeiro chamado para atendimento por volta das 5h20. Diversas viaturas se deslocaram até a concessionária, que àquela altura já era consumida praticamente por inteira. As equipes se dividiram, em um primeiro momento, justamente para evitar que as chamas se alastrassem para outros comércios nas imediações.

 

Duas horas depois, o fogo foi totalmente controlado. Os bombeiros também realizaram os serviços de rescaldo, trabalho que evita a aparição de novos de incêndio e isolaram a área até a chagada da Polícia Militar. Já durante o dia era possível ter uma dimensão dos estragos.

 

Assim que as primeiras equipes conseguiram acessar a edificação encontraram algumas folhas, algumas queimadas e outras intactas, com dizeres ameaçadores. Os bilhetes foram deixados em diversas partes da concessionária e apreendidos pela polícia.


Compartilhe esta notícia!