23.6 C
Araçatuba
sábado, maio 21, 2022

ÍNDICE DE INFESTAÇÃO DO AEDES AEGYPTI ESTÁ BAIXO, MAS DENGUE PREOCUPA

Pelo resultado do LIRAs (Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti), a população de Três Lagoas poderia ficar tranquila com o resultado geral de 0,4% de infestação. Ou seja, o município está em situação satisfatória. Há pouco tempo o município conviveu com índices entre 1% e 3,9% de infestação (condição de alerta). Se a situação é mais tranquila em relação ao mosquito, o mesmo não se pode dizer da dengue, que continua subindo.
Pelos resultados do último LIRAa, que é feito por amostragem de domicílios visitados pelas equipes de Agentes de Endemias, Três Lagoas ainda possui elevados índices de infestação do Aedes aegypti em propriedades domiciliares nas regiões localizadas nos bairros de Interlagos, Vila Nova, JK e Alto da Boa Vista.
Como foi divulgado pelo Setor de Vigilância Epidemiológica e pelo Setor de Endemias, da Diretoria de Vigilância em Saúde e Saneamento, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o número de casos de dengue, de janeiro até terça-feira, 10 de julho, continua subindo. O supervisor geral do Setor de Endemias, Waldecir Marangon, disse que o número acumulado é de 628 casos notificados de dengue, no município de Três Lagoas. Desse total, 117 foram confirmados (positivos), 384 caos já descartados e 127 dos casos ainda aguardam resultados de exames laboratoriais.
Na oportunidade, Marangon também informou que, no mesmo período, Três Lagoas registrou 78 notificações de leishmaniose, sendo 77 casos posteriormente descartados pelos resultados de exames laboratoriais e um paciente veio a óbito, em abril, em decorrência de agravamento da doença.

MEDIDAS DE ENFRENTAMENTO
As equipes da SMS de Três Lagoas, por meio dos vários setores da Diretoria de Vigilância em Saúde e Saneamento, têm intensificado, na atual gestão do prefeito Angelo Guerreiro, todas as medidas de enfrentamento aos vetores da dengue e da leishmaniose, como ressaltou a bióloga Geórgia Medeiros de Castro Andrade.
“Os índices de infestação só aumentam quando existem condições favoráveis à criação de larvas, o que acontecem em águas paradas”, explicou a diretora de vigilância em Saúde e Saneamento.
Por isso, todas as ações que têm a finalidade de conscientizar as pessoas a manterem seus quintais e residências sempre limpos, têm contribuído para a redução dos índices de infestação dos vetores de doenças.
“Nossas equipes de Promoção da Saúde, por meio de palestras e também de visitas às residências procuram insistir sempre nas mesmas informações, que se resumem em um só objetivo, que é, eliminar os criadouros”, explicou o coordenador do Setor de Promoção da Saúde, Waldir José de Souza.

MEU BAIRRO LIMPO
Ele deu como exemplo a campanha “Meu Bairro Limpo”, que retira centenas de caminhões de materiais inservíveis, entre eles, materiais propícios ao armazenamento de água e que podem tornar-se focos criadouros de mosquitos.
Segundo avaliação do coordenador do Setor de Promoção da Saúde, “nos bairros por onde já passou a campanha “Meu Bairro Limpo”, notamos considerável queda nos índices de infestação de criadouros”, comentou Waldir.
“Só com a participação de toda a comunidade, todos unidos e cada um fazendo a sua parte, cuidando do seu quintal e da sua casa, conseguiremos conter o avanço dos casos de dengue e de leishmaniose”, orientou Waldir.
Como lembrou Geórgia, é por isso que, em todas as ações, realizadas em regime de mutirão e que envolvem vários setores da Prefeitura de Três Lagoas, “as equipes da SMS, notadamente as equipes dos setores de Vigilância em Saúde e Saneamento, sempre se fazem presentes na maioria dos eventos”.
“Além do trabalho de busca, retirada e eliminação dos criadouros e ações de bloqueio químico com borrifação, nossas equipes de Agentes de Endemias, nas visitas que fazem às residências, procuram sempre orientar as pessoas sobre o que precisa ser feito para evitar a dengue e outras doenças”, explicou Waldir.
“Estamos também intensificando palestras nas escolas, indústrias, entidades e igrejas, quando convidados e quando tomamos conhecimento do surgimento de casos confirmados de dengue ou leishmaniose naquela área específica”, comentou o coordenador de Promoção da Saúde.

MI-AEDES
Além dessas ações, a SMS, em parceria com a Fibria, mantém o programa de Monitoramento Inteligente do Aedes – MI-Aedes, implantado no município de Três Lagoas pela empresa Ecovec, desde abril de 2007.
Na semana passada, a Fibria doou três motocicletas para uso das Agentes de Endemias, logo que forem devidamente documentadas e emplacadas, na vistoria das 305 armadilhas, as denominadas “mosquitrap”, distribuídas a cada 300 metros e monitoradas através de um sistema via satélite.
O programa MI-Aedes está sob a responsabilidade de uma equipe do Setor de Endemias, que possui o controle dos índices de infestação do mosquito transmissor da dengue

DA REDAÇÃO
Três Lagoas

Ultimas Noticias