Secretaria de Educação e CCVZ promovem palestra sobre escorpiões

Compartilhe esta notícia!

Com o objetivo de aumentar a prevenção contra os escorpiões nas unidades de ensino mantidas pela Prefeitura de Birigui, a Secretaria Municipal de Educação e o Centro de Controle de Vetores e Zoonoses (CCVZ) promoveram na quarta-feira (13) uma palestra com o tema “Cuidados com os escorpiões”. O encontro reuniu diretores de escolas e creches no auditório da Casa de Cultura Cristina Calixto, localizado no primeiro andar da Secretaria Municipal de Educação.
A abertura oficial foi feita pela secretária municipal de Educação, Meiriane Beltran, que passou a palavra ao palestrante Marcos Sanches, educador em saúde pública da Prefeitura de Birigui.
“O aumento do número de escorpiões mostra que ele se adaptou na área urbana, onde encontra abrigo, alimento, e poucos inimigos naturais”, frisou o palestrante.
O educador lembrou que o desmatamento e a queimada da cana fazem com que os escorpiões cheguem na área urbana.
“Além de abrigo, eles encontram nos nossos lixos baratas, que são suas presas. Nessas condições, eles se reproduzem facilmente”, citou.

ESCOLAS E CRECHES
O palestrante lembrou que os escorpiões aparecem em todos os imóveis da cidade, não somente nas escolas e creches.
“A culpa não é das creches, não é das escolas, não é da prefeitura. É a natureza dos escorpiões, que na área urbana procuram abrigo e alimento. A melhor maneira de se combater é fazendo a prevenção”, disse Marcos Sanches.
Na área externa das residências, escolas e creches recomenda-se manter limpos quintas e jardins, não acumular folhas secas e lixo domiciliar, acondicionar lixo domiciliar em sacos plásticos ou recipientes fechados, não jogar lixo em terrenos baldios, eliminar fontes de alimentos dos escorpiões: baratas, aranhas e grilos, remover materiais de construção civil ou lenha, rebocar paredes externas e muros para não apresentarem vão ou frestas.
Já na parte interna as principais recomendações são rebocar paredes para não apresentar vãos ou frestas, vedar soleiras de portas com rolos de areia, reparar rodapés soltos e colocar telas nas janelas. Vedar ralos, pias ou tanques, manter cama, berço, cômodas e guarda roupas afastados 10 cm da parede e evitar que lençóis toquem o chão.
“Nas creches, é essencial afastar os berços das paredes e realizar constantes vistorias pela área interna. É fundamental informar aos pais que as unidades de ensino estão tomando providências para combater os escorpiões”, salientou Sanches.
“Como o escorpião conta com aguilhão, o termo correto é aguilhoada, e não picada. Em caso de aguilhoada, lavar o local com água e sabão e levar a pessoa imediatamente para o pronto-socorro. Recomenda-se, se possível, tomar cuidado para matar e levar o escorpião em um recipiente”, completou o palestrante.

NÚMEROS
Em 2019, o CCVZ de Birigui registrou 782 notificações de aparecimento de escorpiões. De 1º de janeiro até 10 de novembro foram 446 acidentes (aguilhoadas em seres humanos).

DA REDAÇÃO
Birigui


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Volta à “normalidade” deve alavancar comércio no dia dos pais; entidade prevê aumento de R$ 2 bi no varejo

Compartilhe esta notícia!DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA Funcionando de forma ininterrupta em horário normal desde o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *