Ranking revela que as 16 melhores estradas do país estão em São Paulo

Compartilhe esta notícia!

Pelo sexto ano consecutivo, a Rodovia dos Bandeirantes (SP-348), que liga os municípios de São Paulo e Limeira, é considerada a melhor rodovia do Brasil pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). A pesquisa CNT/2017 divulgada na manhã desta terça-feira (7) aponta que, pelo 14º ano seguido, as melhores rodovias do país são as estaduais paulistas. A Marechal Rondon, que passa pela região, está em 14º lugar no ranking.

Em segundo lugar, aparecem as Rodovias D. Pedro I e a SP-340, que formam a ligação Campinas – Jacareí, seguidas da SP-225, que liga o município de Bauru à Itirapina. Das vinte rodovias listadas no ranking, 18 são concessões estaduais paulistas fiscalizadas pela Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo).

Todas as 16 rodovias classificadas como “ótimas” pelo levantamento técnico da Confederação Nacional dos Transportes – CNT, são concedidas e estão em São Paulo.

A3 RANKING

A PESQUISA

A 21ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias avaliou 105.814 km de rodovias, um acréscimo de 2.555 km (+2,5%) em relação a 2016. Foi percorrida toda a extensão pavimentada das rodovias federais e das principais rodovias estaduais do país.

Neste ano, a pesquisa constatou uma queda na qualidade do estado geral das rodovias pesquisadas. A classificação regular, ruim ou péssima atingiu 61,8%, enquanto em 2016 esse índice era de 58,2%. Em 2017, 38,2% das rodovias foram consideradas em bom ou ótimo estado, enquanto um ano atrás esse percentual era de 41,8%.

A sinalização foi o aspecto que mais se deteriorou. Em 2017, o percentual da extensão de rodovias com sinalização ótima ou boa caiu para 40,8%, enquanto no ano passado 48,3% haviam atingido esse patamar. Neste ano, a maior parte da sinalização (59,2%) foi considerada regular, ruim ou péssima.

Em relação à qualidade do pavimento, a pesquisa indica que metade (50,0%) apresenta qualidade regular, ruim ou péssima. Em 2016, o percentual era de 48,3%.

Já a geometria da via, outro quesito avaliado pela Pesquisa CNT de Rodovias, manteve o mesmo resultado do ano passado: 77,9% da extensão das rodovias tiveram sua geometria avaliada como regular, ruim ou péssima e apenas 22,1% tiveram classificação boa ou ótima.

Faltam investimentos

“A queda na qualidade das rodovias brasileiras tem relação direta com um histórico de baixos investimentos em infraestrutura rodoviária e com a crise econômica dos últimos anos “, afirma o presidente da CNT, Clésio Andrade. Segundo ele, a drástica redução dos investimentos públicos federais a partir de 2011 levou a um agravamento da situação das rodovias. Em 2011, os investimentos públicos federais em infraestrutura rodoviária foram de R$ 11,21 bilhões; em 2016, o volume investido praticamente retrocedeu ao nível de 2008, caindo para R$ 8,61 bilhões. Este ano, até o mês de junho, foram investidos apenas R$ 3,01 bilhões.

DA REDAÇÃO – Araçatuba


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Dia dos pais e novo horário a partir de hoje animam empresários do ramo gastronômico do município

Compartilhe esta notícia!DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA A área da gastronomia em Araçatuba está comemorando o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *