Polícia Civil de Valparaíso prende assassino em série na região central do estado

Compartilhe esta notícia!

FOTO: VITOR MORETTI

“Ele é uma pessoa extremamente inteligente, fria e calculista”. Essas foram as palavras do delegado de Valparaíso José Abonizio, responsável pelas investigações que levaram à prisão de um assassino em série no município de Taquaritinga, região central do estado de São Paulo. O homem já confessou três assassinatos em Valparaíso, mas a Polícia Civil encontrou indícios e apura a participação do indiciado em, pelo menos, outros cinco homicídios.

A busca pelo autor não foi fácil. Foram três meses de investigações por parte dos policiais civis de Valparaíso, que contaram com o apoio do setor de inteligência da Delegacia Seccional de Araçatuba, além das equipes do GOE (Grupo de Operações Especiais). Desde a madrugada de terça-feira (19), a polícia se deslocou da região até Campinas, onde iniciou a operação de captura. Foram cerca de 48 horas e mais de mil quilômetros rodados até se chegar ao investigado.

Paulo César Pereira da Silva, de 25 anos, foi localizado na residência de parentes em Taquaritinga. Antes, existia a suspeita de que ele poderia estar escondido na casa da mãe, em Valinhos, mas a informação não se confirmou. O indiciado não ofereceu nenhum tipo de resistência e se entregou. Em um primeiro momento, ele confessou apenas um assassinato: o da jovem Milena Maia Martins dos Santos, em agosto deste ano. Na época, ela estava com 22 anos. Mais tarde, no segundo interrogatório, ele confessou o assassinato de outros dois homens em 2017, também em Valparaíso.

ASSASSINATO DE MILENA

No dia do encontro do corpo da jovem, um transeunte passava por uma estrada de terra, ao lado de uma mata, quando visualizou o corpo de Milena. A Polícia Militar foi acionada, assim como as equipes da Polícia Civil. A forma como a mulher foi localizada chamou a atenção. Ela estava nua e com diversos golpes de faca, principalmente na região do pescoço.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Paulo César possuía uma ‘assinatura’, espécie de registro em todos os assassinatos que cometia.

“No caso das mulheres, ele sempre utilizava objetos perfurocortantes e provocava muitos ferimentos. Já, os homens eram mortos a tiros. Ele disse que os motivos eram discussões com essas pessoas”, revelou José Abonizio durante entrevista à reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL.

Em depoimento, o suspeito confessou ter mantido relações sexuais com Milena antes de matá-la, mas ainda não existe confirmação de que ele possa a ter estuprado. A polícia ainda aguarda um laudo do IML (Instituto Médico Legal) sobre essa informação.

OUTRAS CONFISSÕES

A partir da morte de Milena, as investigações tiveram início. Os policiais começaram a tentar monitorar o paradeiro de Paulo, mas sempre foi uma tarefa difícil, já que ele fugiu de Valparaíso após cometer o homicídio e não ficava por muito tempo nas cidades que percorria, principalmente nas regiões de Campinas e Ribeirão Preto. Nos últimos meses, ele estaria trabalhando na zona rural daquela localidade.

Depois da prisão, ele confessou outros dois assassinatos em 2017 na cidade. Na ocasião, as vítimas eram homens e foram mortas por dívidas de entorpecentes. Mas, existem fortes indícios e investigações avançadas de que o mesmo homem possa ter cometido outros homicídios na região.

A Justiça decretou a prisão temporária do indivíduo, válida por 30 dias, mas a Polícia Civil vai solicitar a prisão preventiva do acusado. Ele foi levado até a carceragem da Central de Polícia Judiciária de Araçatuba, onde passou a noite de quarta-feira (20) detido. Depois, ele foi transferido para a cadeia pública de Pereira Barreto.

 

 

 

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Final de tarde registra ventos fortes e chuva com granizo em Araçatuba

Compartilhe esta notícia!A tão esperada chuva chegou a Araçatuba no final da tarde deste domingo …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *