Home Cidades Mais de 13 mil autuações por excesso de velocidade foram elaboradas no primeiro trimestre

Mais de 13 mil autuações por excesso de velocidade foram elaboradas no primeiro trimestre

3 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

Por conta da quarentena, muitos motoristas pisaram no acelerador e pensam que estão em uma pista de corrida nas rodovias da região de Araçatuba. Novos flagrantes de imprudência foram feitos nos últimos dias e chamaram a atenção da Polícia Rodoviária Estadual. Um levantamento feito pelo jornal O LIBERAL REGIONAL aponta que no primeiro trimestre deste ano, mais de 13 mil autuações por excesso de velocidade foram elaboradas na região.

 

No último domingo (10), um motociclista foi flagrado a 226 quilômetros por  hora na rodovia Gabriel Melhado (SP-461), em Birigui. Nessa mesma rodovia, recentemente outra moto foi flagrada em alta velocidade e chegou a atingir 219 quilômetros por hora.

 

Dados da Polícia Rodoviária Estadual mostram que de janeiro a março deste ano, 13.496 autuações por excesso de velocidade foram elaborados somente nas rodovias que cortam a região de Araçatuba.

 

Segundo o capitão e comandante da Polícia Rodoviária de Araçatuba, Amauri dos Santos Manzutti Júnior, existem três tipos de infrações para quem exceder a velocidade nas rodovias.

 

“Se esse motorista estiver até 20% acima da velocidade permitida é considerada infração média. Se estiver até 50%, infração grave. Já acima de 50% é uma infração gravíssima com suspensão imediata da carteira de habilitação”, explicou.

 

E enquanto a reportagem estava na rodovia Marechal Rondon (SP-300), em cerca de 20 minutos, 12 motoristas foram flagrados em alta velocidade, um deles estava a 105 quilômetros por hora, sendo que o permitido no trecho é apenas 80 quilômetros por hora.

 

“Nós pedimos que os motoristas tenham consciência, porque além de estar se colocando em risco, também coloca a vida das outras pessoas. Nesse momento, o nosso sistema de saúde está onerado com pacientes infectados por coronavírus e não deve haver essa sobrecarga, em casos de acidentes”, complementou o capitão.

 


Compartilhe esta notícia!