Homem suspeito de atear fogo na casa da ex tem preventiva decretada

Compartilhe esta notícia!

Um sentimento de medo e ameaça. É assim que tem sido para uma jovem de 27 anos que teve a casa incendiada pelo ex-marido, de 31, na noite do último sábado (1). O suspeito não aceita o término do relacionamento amoroso há três anos e sempre perseguiu a vítima. Ele foi preso em flagrante minutos após o crime. Antes disso, ele chegou a dizer que mataria a própria avó.

Segundo informações do boletim de ocorrência, existem dois imóveis no terreno. O primeiro é maior e situa-se na parte da frente. Já a outra casa, onde a mulher morava, fica nos fundos e é menor. Era ali que ela e os dois filhos pequenos ficavam. No momento do incêndio, apenas o irmão da declarante estava na primeira casa.

Ele viu o momento que o autor entrou e foi direto para a residência dos fundos. Na sequência, o autor se trancou. Achando aquilo estranho, o rapaz decidiu ligar para a irmã e contar o que acontecia. Após desligar o telefonema, a vítima recebeu uma ligação do indiciado. Ele teria feito diversas ameaças de morte contra ela.

A hipótese é que após ter ligado, o homem teria ateado fogo na casa. Ele fugiu logo em seguida. Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas para o atendimento da ocorrência, assim como da Polícia Militar. Ao ficar sabendo que sua casa estava em chamas, a jovem saiu da casa da mãe com os filhos e foi até o endereço. Ao chegar lá já não havia mais muito a ser feito, além de acompanhar a destruição daquilo que demorou tanto para construir.

DESTRUIÇÃO

A casa ficou completamente destruída. O quarto foi o cômodo mais atingido. Sobraram algumas peças de roupas em meio aos entulhos. Nas outras paredes do imóvel, as rachaduras eram visíveis. O próximo caso é demolir o que sobrou, já que existe o risco, segundo a família, de desabamento.

O fogo foi controlado alguns minutos depois e a área teve que ser isolada para o trabalho da perícia técnica. O laudo deverá ficar pronto em até 30 dias para auxiliar nas investigações.

PRISÃO

Após o incêndio, a vítima ligou para o ex-companheiro. Ele retornou à cena do crime e negou que tivesse cometido o ato. Mas, segundo a polícia, ele teria sido desmentido pela própria avó. Ela afirmou aos policiais militares que atenderam a ocorrência que o neto fez ameaças de morte para que abrisse o portão e teria mostrado um vídeo no qual aparece incendiando a casa.

Na revista pessoal, os PMs encontraram um isqueiro no bolso do autor. O objeto foi apreendido e seria periciado. O homem foi levado até a Central de Flagrantes, onde prestou depoimento. Ele continuou negando ter participação no incêndio, mas diante das evidências, o delegado plantonista manteve a detenção por incêndio, ameaça e violência doméstica.

O suspeito passou pela audiência de custódia na manhã de domingo (2) e teve a prisão preventiva decretada. Ele foi encaminhado para uma unidade prisional na região, onde deverá ficar até o julgamento. A Polícia Civil abriu inquérito para dar andamento às investigações.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Polícia Civil de Buritama esclarece tentativa de latrocínio

Compartilhe esta notícia!A Polícia Civil de Buritama prendeu na manhã dessa quarta-feira (5) três homens …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *