14.1 C
Araçatuba
quarta-feira, agosto 10, 2022

Santa Casa organiza mutirão de cirurgias eletivas para reduzir demanda reprimida

A Santa Casa de Araçatuba, que é referência regional para média e alta complexidade para dezenas de cidades, está organizando mutirão de cirurgias eletivas (tratamento cirúrgico proposto por especialista médico, mas cuja realização pode aguardar ocasião mais propícia). O mutirão vai abranger  cirurgias de média e alta complexidades nas áreas de  Ortopedia, Neurocirurgia, Cirurgias Pediátricas, Ginecológicas e Vasculares, todas eletivas (tratamento cirúrgico proposto por especialista médico, mas cuja realização pode aguardar ocasião mais propícia, ou seja, pode aguardar).

A fila de espera  está sendo requalificada e as agendas  serão fechadas de acordo com a logística necessária a essas demandas reprimidas.

A especialidade de ortopedia é disparadamente a maior demanda dentre os que aguardam por procedimento eletivo tanto na média quanto na alta complexidade. São 1012 pacientes aptos a realizar os procedimentos. Os casos de retiradas de materiais de sínteses (parafusos, placas, etc) serão realizadas a partir da próxima semana. Serão  realizados  20 procedimentos por mês, de segunda à sexta-feira;

As cirurgias eletivas alta complexidade  já foram iniciadas. Neste mês deverão ser realizadas em torno de 10 procedimentos de joelhos, quadris e ombros. Para maio estão previstas em torno de 20 cirurgias.

Neurocirurgia é outra especialidade de alta complexidade com fila já atualizada e o mutirão será iniciado nesta quinta-feira (15/4).  Na agenda constam 150 pacientes à espera de cirurgias eletivas. Deste total,  100 procedimentos são de tratamentos em coluna e  50  em crânios.

A direção  da Santa Casa de Araçatuba está  atualizando também as filas de espera por cirurgias  pediátricas que possui em torno de 60 pacientes eletivos ; e cirurgias oncológicas, cujos pacientes começarão a ser chamados para realização de exames pré-cirúrgicos.

Prioridade às emergências e eletivas encaminhadas por cidades que são referência em média complexidade são apontadas como causas da fila de ortopedia.

Estatísticas  Santa Casa de Araçatuba sobre os fluxos diários de atendimentos  prestados podem  explicar  parte da origem da fila de espera por cirurgias eletivas de ortopedia: o imenso volume de cirurgias de emergência decorrentes de traumas causados em acidentes.

No ano passado foram realizadas somente para pacientes do SUS, 1.430 cirurgias de emergência pela equipe de Ortopedia e Traumatologia, uma média de 4 procedimentos por dia. No primeiro bimestre deste ano, o número dobrou para 8 cirurgias de emergência.

“ As cirurgias de emergência têm prioridade de realização”, informa o administrador da Santa Casa de Araçatuba,  Mauro Inácio da Silva, ao explicar que não são raras as ocasiões em que uma ou mais cirurgias eletivas são desmarcadas para que pacientes vitimados por traumas ortopédicos possam ser operados.

Uma atualização nas demandas por eletivas  que a administração da Santa Casa de Araçatuba realizou  para elaborar uma  agenda para o mutirão de cirurgias eletivas revelou outro fator que contribuiu  para a  formação dessas filas. Mais de 50% dos procedimentos são de média complexidade  que poderiam ter sido realizados pelos hospitais de origem, mas foram encaminhados para Araçatuba. Dentre esses casos as maiores demandas foram encaminhadas por Andradina, Birigui, Penápolis.

A direção da Santa Casa de Araçatuba  pretende redirecionar pedidos com esse perfil para as cidades de origem. Com isso, a fila de espera  ficará compatível à referência pela qual a instituição é credenciada: atendimentos de alta complexidade.

 

Ultimas Noticias