6.4 C
Araçatuba
quarta-feira, maio 18, 2022

Presa em Araçatuba suspeita de envolvimento no sequestro de empresária em Ponta Porã

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA
No sábado (5), policiais da Deic (Divisão Especializada de Investigação Criminal) localizaram e prenderam uma mulher de 24 anos por suspeita de envolvimento no sequestro da empresária Célia Donizete de Moraes, 56 anos.D.M., no período da manhã, em Ponta Porã (Mato Grosso do Sul). Os sequestradores pediram R$ 5 milhões de resgate. A empresária foi libertada no domingo, em Pedro Juan Caballero (Paraguai). Agora a polícia intensifica as ações para localizar e prender outros envolvidos no crime. Com a suspeita de Araçatuba, que estava internada na Santa Casa para tratamento de leishmaniose, os policiais encontraram o celular usado no pedido de resgate. Foram cumpridos mandados também nos bairros São Rafael e Nossa Senhora Aparecida, mas um suspeito conseguiu fugir antes da chegada da polícia.
A empresária foi sequestrada por quatro homens quando chegava à empresa da família, do ramo de material para construção. Ela foi levada em um veículo Gol, encontrado posteriormente em Pedro Juan Caballero, no Paraguai.
Logo após o sequestro, as forças de segurança se mobilizaram, com a participação da Polícia Federal, Polícia Civil, polícia do Paraguai e outras forças. Os pedidos de resgate de R$ 5 milhões, depois reduzido para R$ 3 milhões, foram insistentes e partiram de um celular de Araçatuba. A partir daí a Polícia Civil araçatubense foi mobilizada. O trabalho envolveu 25 policiais de campo e do serviço de inteligência para localização dos suspeitos.
Em uma casa no Bairro São Rafael, os policiais constataram que o suspeito – companheiro da mulher presa – deixou o local pouco tempo antes e rapidamente. O escapamento de uma Bizz estava quente e a televisão estava ligada. No fundo, os policiais encontraram uma escada próxima ao muro, por onde o homem provavelmente escapou. Mas ele está identificado e há mandado de prisão expedido.
Quanto à mulher que foi presa na Santa Casa, ela negou participação, mas as comunicações foram feitas pelo celular que estava em seu poder. Ela não estava recebendo visitas. Os policiais apreenderam materiais que serão analisados.
As autoridades de Mato Grosso disseram que foi um crime bastante complexo e comemoraram o final feliz. De acordo com o site Ponta Porã Informa, o delegado João Paulo Sartori, do Garras (Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) disse que num trabalho integrado das forças de segurança do Estado e do município e ainda o apoio da Polícia federal de Ponta Porã, foi conseguido resgatar a vítima com sua integridade física preservada e sem o pagamento exigido pelos criminosos.
A mulher foi libertada após a prisão da suspeita de pedir o resgate, em Araçatuba. O suspeito de idealizar o crime é do Paraguai.
A pena para o crime de extorsão mediante sequestro é de 12 a 20 anos de reclusão.

Material apreendido em Araçatuba pela Polícia Civil

Ultimas Noticias