Home Cidades Araçatuba Mulheres são apenas 5% das vítimas fatais de acidentes de trânsito em Araçatuba

Mulheres são apenas 5% das vítimas fatais de acidentes de trânsito em Araçatuba

6 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Apesar de representarem 42,6% dos motoristas com CNH (Carteira Nacional de Habilitação) em Araçatuba, as mulheres foram apenas 5% das vítimas fatais de acidentes de trânsito registrados na cidade de janeiro a setembro deste ano.

De acordo com dados levantados pelo Detran-SP a pedido da reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, atualmente há cerca de 57.300 mulheres habilitadas à direção de veículos em Araçatuba, dentre aproximadamente 134 mil condutores na cidade.

De janeiro a setembro em Araçatuba foram contabilizadas 60 vítimas fatais de acidentes de trânsito no perímetro urbano da cidade, sendo que apenas 3 são mulheres.

Luciana Queiroz, 38, que é advogada e mora em Araçatuba, possui carteira de habilitação AD e já dirigiu diversos tipos de veículos, fazendo inclusive transporte de produtos perigosos e atuando no transporte de passageiros. Segundo ela, a sensibilidade feminina faz com que as mulheres respeitem mais as leis, sofrendo menos acidentes.

“Acredito que a mulher no trânsito tem um diferencial que é a da sensibilidade para todas as atividades que ela propõe desempenhar, inclusive no quesito conduzir um veículo”, opinou.

A advogada, que tem curso de instrutor teórico técnico de trânsito, afirma que a sensibilidade leva à cautela do respeito às leis de trânsito. “Assim, tende a respeitar mais as leis, são mais cautelosas e prudentes. Por isso causam menos acidentes segundo as estatísticas”, concluiu.

Estado

A opinião sobre a maior cautela da mulher na direção de veículos também é compartilhada pelo presidente do Detran-SP, Ernesto Mascellani Neto. Ele ainda cita que a maior parte dos acidentes de trânsito ocorrem por falhas humanas e não por falhas mecânicas em seus veículos.

“As mulheres são muito mais cautelosas no trânsito, o que é uma importante notícia, já que elas representam 40% dos motoristas de todo o Estado. Mas reduzir o número de acidentes, que em sua maioria são motivados por falha humana, é vital para o Detran-SP. Por isso seguimos investindo em ações e campanhas educativas para todos os motoristas, independentemente do gênero”, afirmou Mascellani Neto.

Dados do Infosiga SP apontam que, em todo o estado de São Paulo, apesar de o índice ser três vezes maior do que em Araçatuba, os acidentes com vítimas fatais envolvendo mulheres é bem abaixo em relação aos que envolvem homens. O sexo feminino responde por 15,5% deste tipo de ocorrência, contra 84,5% dos homens.

Outro dado importante é que na maioria dos casos fatais registrados, as mulheres não estavam na direção do veículo: 39,4% eram passageiras e 31,9% pedestres.

Somente 6,3% dos casos de acidentes registrados entre janeiro e agosto de 2020, envolvem mulheres na direção, um percentual 16 vezes menor do que o número de acidentes com homens ao volante. As condutoras do sexo feminino representam 40% dos motoristas de todo o Estado, um total de cerca de 26 milhões de condutores.

A prudência no trânsito é demonstrada também por meio do perfil dos condutores com habilitações suspensas. Das 91,5 mil CNHs suspensas entre janeiro, fevereiro e março de 2020 no Estado de São Paulo, apenas 26% pertencem às mulheres.

CUIDADO – Presidente do Detran-SP, Ernesto Mascellani Neto, destaca cautela da mulher no trânsito

Compartilhe esta notícia!