Home Cidades Araçatuba Missa de Quarta-feira de Cinzas tem horários variados em toda a diocese

Missa de Quarta-feira de Cinzas tem horários variados em toda a diocese

10 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – Araçatuba

A Quarta-feira de Cinzas marca o início da Quaresma, período preparatório para a Páscoa. Neste ano, a data cai em 26 de fevereiro, data que marca também a abertura da Campanha da Fraternidade em todo o País. Este ano, a Campanha tem como tema “Fraternidade e vida: dom e compromisso” e o lema é “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lucas 10,33-34).
As paróquias e suas comunidades da Diocese de Araçatuba têm horários alternativos de missas, as quais vão desde a manhã até a noite, o mais tradicional dos períodos. Em Araçatuba, a Paróquia do Senhor Bom Jesus da Lapa tem missa às 7h, o mesmo horário da Paróquia Imaculada de Conceição, de Birigui. Em Valparaíso, na matriz Nossa Senhora Auxiliadora haverá missa às 9h. Ambas também terão missas a noite.
Já no período da tarde, a Capela São Domingos Sávio (Salesiano), em Araçatuba, terá missa às 17h. À noite todas as paróquias da Diocese celebrarão suas missas. O bispo diocesano Dom Sergio Krzywy presidirá a Missa na Catedral Diocesana Nossa Senhora Aparecida, às 20h.

A DATA
O padre Robson Suffi Hanna, pároco da Paróquia Imaculada Conceição de Guararapes e assessor diocesano de Liturgia explica que as cinzas possuem o sentido de recordação da origem e do final terreno humano, o qual tem a vida renascida das cinzas.
“Por que cinzas? É para lembrar que, de fato, somos pó! Mas não reduzidos a pó! A fé em Jesus ressuscitado faz com que a vida renasça das cinzas. Quando o ser humano reconhece a sua condição de criatura realmente necessita da ação de Deus, em Cristo e no Espírito, então Jesus Cristo faz brotar vida de nossa condição mortal”, explica.
O padre ainda lembra uma citação de São João Paulo 2º. “A cinza é símbolo de que participamos da Cruz de Cristo, de que “o homem é chamado a tomar parte na dor de Deus até a morte do Filho Eterno na Sexta-feira Santa”.
Ainda de acordo com o padre, o número 40 existente no período quaresmal tem um sentido rico na História de Salvação. A Quaresma termina na quinta-feira da Semana Santa, onde se inicia o Tríduo Pascal.
“A Quaresma começa com o gesto da cinza. Mas termina com a água da Noite Pascal. Ambos os gestos têm uma unidade dinâmica. A cinza suja. A água, limpa. A cinza fala de destruição e morte. A água é fonte de vida na Vigília Pascal. A linguagem com que a Quaresma quer nos fazer entrar na Páscoa é bastante diversificada: orações, cantos, leituras bíblicas, jejuns, entre outros”, conclui.

‘Na Quaresma é importante aprender a ter o olhar do ‘Bom Samaritano’, diz dom Wilson

A Páscoa, celebração da morte e ressurreição de Jesus Cristo, é para os cristãos a mais importante festa litúrgica. Ela é antecedida pela Quaresma, que prepara as celebrações pascais. Este tempo, que inicia-se sempre na quarta-feira de cinzas, este ano no dia 26 de fevereiro, requer atitudes expressivas de disposição de viver segundo a Páscoa. Neste sentido, o arcebispo do Florianópolis, dom Wilson Tadeu Jönck, afirma que a ocasião é favorável para revisar a vida e corrigir os rumos da caminhada cristã.
Como em outros anos, a Igreja lança a Campanha da Fraternidade que auxilia a viver o espírito da Quaresma.

Este ano com o tema “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele”, a CF 2020 tem por objetivo conscientizar, à luz da Palavra de Deus, para o sentido da vida como dom e compromisso, que se traduz em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta, Casa Comum.
A CF é inspirada pela parábola do “Bom samaritano”, na qual não se trata tanto de saber quem é o próximo, mas ser o próximo de quem se encontra em necessidade. A partir das atitudes do Bom Samaritano, dom Wilson diz que é possível estabelecer um programa quaresmal com os seguintes passos: 1) Dedicar-se à escuta da Palavra que converte o coração; 2) Ter verdadeira atenção para com o outro; 3) Romper com a indiferença frente ao sofrimento do outro; 4) Ser disponível para o serviço.
Segundo dom Wilson, a Quaresma é um caminho que conduz à vida nova revelada na Páscoa. Este caminho, de acordo com ele, pede jejum, oração e esmola. “O jejum ajuda a esvaziar-se de si e abrir-se ao outro. A oração é aproximação, nova relação, ocasião em que se é tocado pelo amor de Deus. A esmola é partilha de vida, cuidado amoroso; é encontro com o próximo é exercício do compromisso. Para o outro, o próximo é cada um de nós”, revela.
Quaresma, ainda conforme dom Wilson, é tempo de exercitar o olhar. “Olhar é interessar-se pelo outro e pelo mundo em que se vive. É tempo de evitar o olhar que expressa indiferença, ódio, desprezo, tristeza, maldade, mentira”, diz. O arcebispo acredita também ser importante aprender a ter o olhar do Bom Samaritano: olhar com interesse, com alegria, com esperança, com confiança, com compaixão, com perdão e verdade. (CNBB)

A5 dom Wilson Tadeu Jönck

INSPIRAÇÃO – Para Dom Wilson Jönck, a CF é inspirada pela parábola do ‘Bom samaritano’


Compartilhe esta notícia!