EXPECTATIVA - Ministério Público Eleitoral requereu a improcedência da ação

Ministério Público não vê abuso em ações sociais de Cido Saraiva denunciadas por Dilador

Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

No final de outubro a Coligação “Construindo juntos uma nova cidade”, do candidato a prefeito Dilador Borges Damasceno e da candidato a vice-prefeita Edna Flor, apresentou junto à Justiça Eleitoral, representação especial de Abuso do Poder Econômico ou Político, Propaganda Política, Propaganda Eleitoral, Redes Sociais, contra o candidato Cido Saraiva, da coligação “Araçatuba para fazer bem feito”, por suposto uso de seu trabalho social. O Ministério Público Eleitoral manifestou-se pela improcedência da representação. Ainda não houve julgamento
O advogado da coligação de Dilador Borges, na representação, cita as casas de apoio mantidas por Cido Saraiva em Jales e Barretos para apoio às pessoas que fazem tratamento contra o câncer e uma casa de fisioterapia em Araçatuba. O advogado cita na representação que os candidatos fizeram da campanha uma forma de promoção pessoal, frisando a captação de sufrágio por meio das casas de apoio Cido Saraiva.
Ao longo da representação, o advogado fala em abuso do poder econômico e abuso do poder político do candidato.
“Inicialmente, vale salientar que não assiste razão à alegada captação de sufrágio, pois o trabalho social questionado é realizado há muito tempo, ou seja, bem antes do período eleitoral”, cita o representante do Ministério Público Eleitoral, acrescentando que “Por mais que seja obvio que a intenção de criar esses projetos sociais foi a de angariar popularidade e cair nas graças da população, não é possível vinculá-la à obtenção de votos”.
De acordo com o posicionamento do representante do MPE, em nenhum momento observou-se captação de sufrágio.
“Em síntese, das provas coligidas aos autos, não é possível extrair quaisquer indícios de captação de sufrágio. Ante o exposto, o Ministério Público Eleitoral, representado pelo Promotor de Justiça infra-assinado, requer a improcedência da presente representação”.
A defesa da Cido Saraiva disse que as casas de apoio de Barretos e Jales atendem pessoas de várias regiões do Brasil e não especificamente de Araçatuba. Além disso, o trabalho é realizado há muitos anos.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

SP autua dez estabelecimentos em primeira noite de toque de restrição

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – SÃO PAULO A Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *