18 C
Araçatuba
quarta-feira, agosto 10, 2022

Médico da Santa Casa de Araçatuba pede manutenção dos cuidados relativos à pandemia durante festas de final de ano

Diego Fernandes – Araçatuba

Apesar do bom momento e do número baixo de casos de covid-19 devido ao avanço da vacinação, a recomendação de profissionais da área médica é para que a população tenha cautela com as festas de final de ano e evite aglomerações em locais fechados.
A principal preocupação agora é a variante ômicron, que nesta segunda-feira (13) teve 11 casos confirmados no Brasil pelo Ministério da Saúde. Pelas incertezas com relação à transmissibilidade e letalidade da nova variante, de acordo com o médico intensivista da Santa Casa de Araçatuba, Dr. Fábio Bombarda, é importante manter os cuidados básicos já conhecidos desde o início da pandemia.
“O mais importante é o trabalho de prevenção. Se tem alguma coisa para se fazer com relação a uma possível nova onda de covid, isso deve ser feito agora através de medidas de prevenção, nós temos que continuar evitando aglomerações, continuar usando máscara, lavando as mãos, fazendo os mesmos cuidados de sempre, porque essa nova variante ainda representa um risco porque muitas perguntas com relação a ela não têm resposta”, afirmou em entrevista exclusiva ao jornal O LIBERAL REGIONAL e à Clube FM 96,3.
Segundo o médico Fábio Bombarda, os profissionais da saúde, que trabalharam de forma incansável durante os últimos meses, ainda temem uma possível nova onda da doença. Ele afirma que não sabe se haverá estrutura para suportar um novo período de restrições.
“Primeiro passo é manter os cuidados do isolamento social, evitar lugares fechados com muita gente, sempre ficar em locais mais ventilados, abertos, evitar aglomerações. A gente vê muitas festas e quem trabalha na saúde fica bem preocupado, porque a gente teme que o Brasil não esteja preparado para uma nova onda”, preocupou-se o médico. “Quem é da saúde tem muito medo de tudo que pode acontecer no ano que vem, é muita incerteza. Essas festas de fim de ano, muita aglomeração, muita gente que abandonou já as medidas de prevenção, isso pode refletir em alguns meses em uma nova onda, que pode trazer bastante prejuízo, então se existe alguma coisa para a gente fazer, nós temos que fazer agora”, seguiu.
O médico também destaca a importância da sequência da vacinação contra a covid-19 para manter casos e mortalidade em baixa. Segundo ele, porém, mesmo com ela, uma nova variante pode trazer novas mutações, o que aumenta a importância da chamada “imunidade de rebanho”, alcançada segundo a OMS, com 75% de vacinados.
“A vacina continua sendo muito importante, principalmente na redução das mortes, porém, a medida que o vírus vai sofrendo novas mutações, é natural que as vacinas percam algum potencial de eficácia. A vacina traz uma redução no geral da mortalidade. Isso, a princípio, já traz uma segurança para a gente reduzir o número de complicações”, completou.
Até esta sexta-feira (10), Araçatuba havia aplicado 162.695 vacinas em primeira dose, 149.989 em segunda dose, 4.810 doses únicas e 29.980 doses adicionais.
A cobertura vacinal da primeira dose estava em 93,07% do público alvo, da segunda dose em 88,55%, e da dose adicional de 17,15%.
Dentre as doses adicionais aplicadas, 26.124 foram com a vacina da Pfizer, 3.635 com a Coronavac e 230 com a AstraZeneca.

Ultimas Noticias