22.6 C
Araçatuba
quarta-feira, maio 25, 2022

Medicina do Unisalesiano inicia atividades do Internato na Santa Casa e UBSs de Araçatuba

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

O Curso de Medicina do Unisalesiano deu início às atividades do Internato dos acadêmicos que estudam no 9º termo, no dia 17 de janeiro. O estágio curricular obrigatório é realizado na Santa Casa e nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de Araçatuba.

O Coordenador do Curso de Medicina, Dr. Antônio Henrique Poletto, explicou que o Internato tem caráter eminentemente prático – período onde ocorre a translação do ensino médico para que o acadêmico possa habilitar-se profissionalmente.

“O objetivo primordial é ampliar e aprimorar os conhecimentos e atitudes adquiridas ao longo do curso, além das habilidades, responsabilidades e deveres éticos do médico, que são indispensáveis para o exercício da Medicina”, destacou.

Poletto completou que o Internato é realizado nos últimos dois anos do curso e os alunos são submetidos a avaliações formativas e somativas no departamento de atuação e também na faculdade. “Importante frisar que cada grupo de cinco alunos tem o acompanhamento de um professor, durante as atividades no hospital e nas UBSs”, disse.

O médico e docente do Curso de Medicina do Unisalesiano, Dr. Rafael Saad – que atua como coordenador do estágio de enfermaria em Clínica Médica – considera o Internato a parte mais importante da graduação.

Segundo ele, os conhecimentos, habilidades e atitudes aprendidas do primeiro ao quarto ano são fundamentais, mas é no Internato que o aluno de Medicina poderá aplicar as bases adquiridas no cuidado dos pacientes e desenvolver competências para se tornar um bom médico.

“Os grupos estão sob supervisão dos médicos residentes e professores, com os quais discutem sobre os sintomas, exames complementares, diagnóstico e tratamento dos pacientes nas diversas unidades de saúde do município”, explicou.

As principais áreas básicas estão contempladas, neste momento de formação, em: Clínica Médica, Cirurgia, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia, Saúde da Família e Comunidade, e Urgência e Emergência.

RELATO DOS ALUNOS
Os alunos do 9º termo do Curso de Medicina do Unisalesiano, Giovani Pinoti Mendonça, Eduardo Alexandre Geumaro e Angélica Oliveira Ramos, contam, abaixo, como está sendo a experiência nesse início de Internato:

Qual a sensação de chegarem ao Internato?
Giovani – A sensação de chegar ao Internato é de gratidão, pois se passaram quatro anos de graduação e conseguimos observar a evolução como ser humano e como acadêmico. Hoje, quando olhamos para trás, vemos todo o caminho que foi construído, e que em meio a tantas dificuldades e obstáculos, conseguimos atingir um dos objetivos e dar início a mais uma etapa. O próximo objetivo é que a gente consiga crescer cada vez mais, e que essa nova fase seja repleta de foco, aprendizado, respeito e comprometimento.
Eduardo – Um misto de realização e desafio. Porém, sinto que a base que tivemos até aqui nos preparou bem para aproveitarmos as oportunidades de aprendizagem.
Angélica – Considero que não somos nós que escolhemos essa profissão, mas sim, a própria Medicina que encontra as pessoas certas, e eu tenho orgulho de ser uma dessas. É sempre bom relembrar que quando formalizamos um objetivo, abdicamos de muitas outras sensações. Chegar ao Internato é a concretização de um sonho, pois, nele, lidamos realmente com os procedimentos médicos e aplicamos todo conhecimento que obtivemos durante quatro anos, e nossa faculdade nos preparou bem para este momento.

Quais áreas irão atuar e em quais locais?
Giovani – Nesse período que se inicia (9º período), iremos passar por três estágios: unidade básica de saúde (UBS); pediatria; e saúde do adulto (que envolve a clínica médica, cirurgia e anestesia).
Eduardo – Nesse primeiro momento do Internato, passarei pelo centro cirúrgico, nas áreas da cirurgia e anestesiologia.
Angélica – Neste momento, estamos passando pela área de cirurgia geral, acompanhando cirurgias, “colocando a mão na massa”; na enfermaria cirúrgica, passando visitas junto ao preceptor e residentes; depois passaremos pela anestesiologia.

Qual a sensação de terem participado de uma cirurgia? Conte-nos como foi feita?

Giovani – A primeira vez que participei de uma cirurgia foi no 1º ano de faculdade. Foi uma cirurgia ortopédica, uma área que eu admiro muito e que sempre me despertou muito interesse. Ao participar da cirurgia, o sentimento foi de alegria e gratidão pela oportunidade, pois naquele momento, foi apenas mais um, de muitos, em que eu tive certeza de que estava cursando o que eu queria para a minha vida.

Eduardo – Empolgado. A primeira que participei foi uma cirurgia neurológica de emergência. Era uma fratura cervical. Acompanhei o anestesiologista no procedimento de uma anestesia geral. Para um interno, todo esse processo é uma grande novidade, mas ao mesmo tempo um desafio empolgante.

Angélica – Vou guardar eternamente essa primeira participação como uma das minhas memórias mais felizes até então na minha vida, este é o sentimento. Estou apaixonada pela cirurgia e é uma das minhas escolhas, até então, para residência. Acompanhei e auxiliei meu preceptor em uma cirurgia de colecistectomia, apendicite. Acompanho todas as cirurgias do dia, com explicações dos preceptores. É incrível, estou cada dia mais feliz e realizada por toda essa trajetória.

 

 

Ultimas Noticias